Carro novo também exige cuidados - Veja dicas de especialista

Quem está realizando um investimento para a compra de um automóvel novo, deve separar uma verba extra para a conservação para manter o carro longe de muitos problemas no futuro. Antonio Cesar Costa, consultor técnico da Oficina Brasil (rede de oficinas mecânicas) dá dicas de como não ser surpreendido com problemas com o carro novo. "A compra de um carro novo pode resultar numa experiência desastrosa se o proprietário não souber quais são as peças que deverão ser monitoradas com maior atenção, principalmente nos primeiros dias de uso, quando o novo dono ainda está se adaptando ao veículo e qualquer descuido pode danificá-lo", explica, Antonio Cesar. As principais dicas do consultor para gastar menos dinheiro na oficina mecânica ou concessionária após os dois primeiros anos de uso do automóvel são: • A troca do óleo do motor e dos filtros de óleo, ar e combustível é um investimento baixo e pode prevenir um gasto maior com problemas no motor por falta ou deficiência de lubrificação. Por isso, é importante ficar atento às quilometragens para cada troca, sinalizadas no manual do automóvel. • Outro detalhe importante é realizar o alinhamento e balanceamento dos veículos pelo menos duas vezes ao ano. Além de ajudar a conservar os pneus e a melhorar a dirigibilidade e segurança, ainda ajudam a conservar os rolamentos de roda, principalmente as traseiras. • Fique atento ao estado dos escapamentos e catalisador. A longa durabilidade dessas peças acaba fazendo com que os novos proprietários desconsiderem a sua existência, que geralmente passam a apresentar problemas após cinco anos de uso. O cuidado com esses itens são muito importantes, principalmente nas cidades como São Paulo, onde a inspeção ambiental avalia a emissão de gases. Se possível, faça um teste de emissão de gases no veículo anualmente. Já há equipamentos que realizam este teste, que custa, aproximadamente, de R$ 30,00 a R$ 50,00. • Verifique o estado dos freios dianteiros e traseiros pelo menos uma vez ao ano. Um hábito que deve ser terminantemente evitado é o uso da famosa “banguela” (descer desengrenado ou em ponto morto), descer engrenado é o correto, conserva e é seguro. Outro detalhe importante é a troca do fluido de freio, que a cada 20.000 km, pois se contaminado, além de danificar peças do sistema, ainda coloca em risco uma frenagem segura. • Faça uma revisão de todas as lâmpadas do veículo, lanternas, faróis baixo e alto, luzes de freio e ré, assim como as setas direcionais e principalmente dos painéis, no mínimo duas vezes ao ano. São elas que indicam a tempo quando algo não está correto, permitindo que o proprietário solucione falhas pequenas que poderiam resultar em problemas maiores. • Um item que geralmente é bastante esquecido são as palhetas do pára-brisa. Verifique o estado das palhetas do limpador e do vidro traseiro sempre a cada 6 meses. Geralmente esse item só é lembrado nos dias de chuva e sua falha pode comprometer a visibilidade, além de riscar o pára-brisa.

Seja parte de algo grande