Porque os carros são tão caros no Brasil? Joel Leite explica... ou pelo menos tenta

Quando a Honda lançou o City no México, publicamos uma matéria. A grande questão que levantamos na ocasião foi tentar entender como um carro fabricado no Brasil, caso do City, e exportado para o México conseguia custar a metade do preço por lá. Este e-mail virou uma espécie de corrente e hoje circula por e-mails e mais e-mails. Para ilustar este exemplo, o jornalista Joel Leite fez um detalhado estudo que tenta explicar porque os carros no Brasil são tão caros. Em sua matéria, que foi publicada integralmente na versão impressa da Revista Auto Esporte e está sendo publicada de forma parcial em seu blog, Joel Leite toma como base um estudo do IBPT, Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, que mostra que um carro brasileiro paga em torno de 30% de impostos. Para o consumidor final, a marca ainda aplica a sua margem de lucro. Com base nisso, Joel chega a conclusão de que o valor de um carro brasileiro chega a entregar uma margem de quase 30% de lucro para as montadoras, ou seja, a maior margem entre todos os mercados do mundo. Apesar de citar a Honda, o inexplicável acontece com todas as marcas. Veja um trecho do levantamento: "Toyota Corolla: No Brasil o carro custa US$ 37.636,00, na Argentina US$ 21.658,00 e nos EUA US$ 15.450,00. Outro exemplo de causar revolta: o Jetta é vendido no México por R$ 32,5 mil. No Brasil esse carro custa R$ 65,7 mil. O Kia Soul, fabricado na Coréia, custa US$ 18 mil no Paraguai e US$ 33 mil no Brasil. Não há imposto que justifique tamanha diferença de preço. " Vale a pena conferir na íntegra as publicações: Parte 1: Lucro Brasil faz o consumidor pagar o carro mais caro do mundo Parte 2: Por que o carro é mais barato na Argentina e no Chile? Confira também a Galeria: Comparações de preços de 10 carros vendidos no Brasil Imagem: Revista Exame

Seja parte de algo grande