Hyundai na mira do Ministério Público por publicidade enganosa

A Hyundai está sob investigação do Ministério Público por publicidade enganosa. Há pouco tempo a marca sul-coreana anunciou que as revisões de todos os modelos vendidos no Brasil haviam sido tabeladas, mas a realidade constatada por proprietários tem sido um pouco diferente. De acordo com reportagem publicada pelo jornal Estado de Minas, uma consulta realizada junto a diversas concessionárias de Brasília, de Belo Horizonte e do Rio de Janeiro mostrou que apenas duas delas seguiam os valores divulgados na imprensa. Nas demais os valores eram sempre superiores – em uma delas o valor cobrado pela revisão de 10.000 km chegou a R$ 1.062. O servidor público Vinícius Alencar, de Brasília (DF), foi um dos que constatou o problema. Ao levar o i30 de sua esposa para a revisão de 10.000 km, o preço cobrado foi superior a R$ 200, acima dos R$ 173,32 anunciados. Indignado, o consumidor entrou em contato com o serviço de atendimento ao consumidor da marca e a resposta, nada satisfatória, foi de que a tabela de preços era só sugestiva. Para Geraldo Magela Freire, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB-MG, a publicidade pela montadora de preços inferiores aos cobrados pelas concessionárias é indício de publicidade enganosa, conforme indica o artigo 37 do Código de Defesa do Consumidor (“é enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços”). Diante da reportagem, o promotor da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor do Ministério Público de MG, Marcos Tofani, instaurou um processo investigativo para que a montadora preste esclarecimentos dentro de 10 dias. Consultada pelo Estado de Minas, a Hyundai informou que está buscando padronizar os custos de revisões em todas as concessionárias do país e disse que tomará todas as medidas necessárias em relação àquelas que descumprirem os valores fixados. O curioso da história é que a reportagem do jornal ligou para revendas da Hyundai no estado de São Paulo, todas pertencentes ao grupo CAOA, e os valores informados foram sempre os mesmos divulgados pela tabela oficial da importadora. Por: Thiago Parísio / Fonte: VRUM / Estado de Minas

Seja parte de algo grande