Jornal dos EUA pede perdão por avaliação "incorreta" de carro

O jornal norte-americano The Detroit News pediu desculpas publicamente por haver publicado em seu site uma matéria “suavizada” quanto à avaliação de um carro. Tudo começou quando o jornal publicou, em sua versão impressa, sua impressão sobre o novo Chrysler 200. Na avaliação, feita pelo analista Scott Burgess (conhecido por defender fortemente seu ponto de vista), questionou-se o posicionamento do carro no segmento de luxo.
Jornal dos EUA pede perdão por avaliação "incorreta" de carro
Um anunciante, cuja identidade não foi revelada, ao ler o texto não teria gostado do que viu e exigiu que a matéria fosse modificada; o que ocorreu quando da sua reprodução no site do Detroit News. Diante do ocorrido, Burgess pediu demissão e denunciou o fato numa entrevista cedida a outro site especializado na área automotiva. A princípio, o The Detroit News ensaiou a possibilidade de haver cometido um erro sem, no entanto, admitir a denúncia feita pelo jornalista. Logo em seguida, porém, outra nota foi publicada. No texto, assinado pelo editor-chefe, o jornal admitia publicamente o equívoco e se desculpava com Scott Burgess. O ocorrido incitou discussões acerca da neutralidade da imprensa quanto à apreciação de produtos e prestadores de serviços tidos como grandes anunciantes. Diversos comentários feitos sobre o tema colocaram em xeque o comportamento da indústria automotiva. Grande parte deles argumentava que os fabricantes se escondiam sob a fachada de suas concessionárias para manifestar suas insatisfações sobre as reportagens que não lhes fossem benéficas. Essa seria uma forma de pressionar as publicações sem danificar sua imagem perante os consumidores. O caso teve tamanha repercussão que diversos analistas questionaram a integridade de vários órgãos de imprensa e afirmaram que muitos deles optariam por não serem “tão críticos” em suas análises para, dessa forma, continuarem a garantir convites para lançamentos e empréstimos de carros para suas matérias. A prática, de acordo com eles, comprometeria as avaliações feitas sobre os carros uma vez que é bastante comum entre veículos especializados - com pouca ou nenhuma independência financeira - servirem apenas de ligação entre o público leitor, revendas e fabricantes. Por: Michelle Sá / Fonte: Auto Estrada

Seja parte de algo grande