Dupla checagem impede que multa seja aplicada incorretamente no Paraná

As ruas de Curitiba agora contam com tecnologia 3G para evitar que multas sejam aplicadas incorretamente. A cidade, que tem 119 locais monitorados por radares e 50 por lombadas eletrônicas, possui um sistema de conexão sem fio à internet, o qual possibilita a avaliação detalhada de irregularidades no trânsito. Quando um desses equipamentos flagra um carro cometendo contravenções, as imagens criptografadas são enviadas aos servidores, localizados no Diretran, para análise. Lá, sob supervisão da equipe técnica, funcionários examinam, diariamente, aproximadamente 3 mil imagens, atestando, ou não, sua qualidade para confirmar as infrações. Caso a transgressão se confirme, a placa e características do veículo são cruzadas com o bando de dados do Detran, para verificar possíveis clonagens e outros crimes. Cada fotografia recebe uma codificação diferente e os funcionários não têm autorização para apagá-la, ficando a mesma salva no sistema. Aleatoriamente, dois funcionários diferentes analisam a foto, e, em caso de concordância, ela é encaminhada, via sistema eletrônico, a um agente de trânsito que trabalha em outro ambiente e fica responsável por atribuir à imagem a respectiva multa. Cabe, também, ao agente legitimar o processo e explicar, caso haja recurso, quais critérios embasaram a punição. Por fim, a imagem convertida em multa segue para o órgão responsável (Celepar) para que a notificação seja impressa e em seguida enviada, via Correios, ao dono do veículo. Por: Michelle Sá / Fonte: Bem Paraná

Seja parte de algo grande