União Europeia quer eliminar carros a gasolina e a diesel de suas cidades até 2050

O exemplo bem que poderia ser seguido por outros países preocupados, não só com a saúde de seus habitantes, assim como com os problemas ocasionados pela poluição. A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE), fez uma proposta desafiadora ao propor que todos os veículos movidos a diesel ou a gasolina sejam eliminados das cidades do bloco até 2050. Para tanto, metade das jornadas feitas atualmente por automóveis, cerca de 300 km, migrariam para trens. Tendo como objetivo final cortar 60% das emissões de gases originados pelo grande número de veículos em circulação e nocivos ao ambiente, o bloco europeu estimulará a utilização de combustíveis verdes, inclusive na aviação, para diminuir a dependência do petróleo importado. Para isso, será necessária uma ampla rede de corredores de transporte, incluindo conexões de trem entre os principais aeroportos europeus, além de modernizar e integrar o sistema de controle do tráfego aéreo. De acordo com o comissário de Transportes do bloco, Siim Kallas, a UE tem como pretensão se tornar “líder mundial” em segurança de transportes aéreos, ferroviários e marítimos, sem, no entanto, dificultar a mobilidade dos viajantes. “Podemos quebrar a dependência em petróleo do setor de transportes sem sacrificar nossa eficiência ou comprometer a mobilidade. A liberdade de viajar é um direito básico de nossos cidadãos. Reprimir isso não é uma opção”, explicou. Por outro lado, mal tendo sido divulgadas, as medidas já encontram resistência. O ministro-adjunto britânico dos Transportes, Norman Baker, rejeitou a ideia de banir carros dos centros urbanos e afirmou que o correto seria estabelecer metas de redução para emissões de gases tóxicos e estimular o uso de veículos elétricos e bicicletas. Para o ambientalista Richard Dyer, da ONG Friends of the Earth, as propostas são boas, contudo se devem especificar quais investimentos deverão ser feitos. “Abandonar automóveis movidos a combustíveis fósseis é uma boa, porém, apesar dos anúncios que rendem excelentes manchetes de jornais, falta ambição aos planos da União Europeia de redução de emissões”, afirmou. Por: Michelle Sá / Fonte: Uol

Seja parte de algo grande