Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012

O Peugeot RCZ tem méritos que poucos carros têm. Por ser um cupê esportivo, o modelo faz parte de um segmento restrito para poucas marcas, mas a Peugeot sempre foi ousada e com o RCZ criou um rival para o Audi TT, porém, com uma diferença significativa, o preço. Confira a avaliação do Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
Falando um pouco do preço, para se ter uma ideia, o Audi TT de entrada no Brasil custa R$ 196 mil, enquanto que o RCZ sai a R$ 139.900. Mesmo que o modelo da Audi tenha um motor mais potente (200 cv), o esportivo francês não faz feio.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
Lançado no Brasil em outubro de 2011, os emplacamentos do modelo passaram a ser feitos em janeiro deste ano, com um total de 79 unidades comercializadas até esse mês. O Peugeot RCZ chama a atenção por onde passa, principalmente pelo seu desenho com linhas fluidas. O modelo é construído sobre a Plataforma 2 da PSA, a mesma utilizada nos já conhecidos 3008 e 308.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
As linhas do Peugeot RCZ são muito atraentes e desviam olhares por onde passa. Difícil é ficar sem olhar para o belo cupê. O destaque de suas linhas são os para-lamas volumosos que engolem as rodas de 18 polegadas com desenho exclusivo. Não fica de fora dos olhares o vidro traseiro curvo em formato de bolha dupla, que deve custar um bom dinheiro, se for necessário ser substituido. Na parte dianteira, nada de inédito, o esportivo traz a conhecida grade “bocão” com o emblema do Leão em destaque no centro do capô. Os enormes faróis que invadem as laterais seguem o DNA da marca. Outro detalhe fica por conta das portas, que são pesadas, não possuem esquadro superior, deixando o modelo sem coluna central, típico dos cupês. Ainda por fora, destacam-se ainda os arcos superiores cromados que envolvem as laterais e o teto de vidro. A parte traseira é comprida e acomoda as lanternas de LEDs na cor vermelha, com formato de bumerangue e um aerofólio escamoteável. As linhas ousadas são finalizadas com o discreto pára-choque traseiro.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
Por dentro o espaço é suficiente para dois adultos na frente, atrás cabem no máximo duas crianças pequenas, por isso é um cupê 2+2. Fora esse detalhe, o RCZ esbanja qualidade em seu interior. Está tudo em seu devido lugar. Com um painel semelhante ao do 308, a esportividade fica de lado dando lugar ao luxo. O volante, o mesmo do 308, ficou grande e com empunhadura ruim para essa proposta de carro esportivo, sendo que seria mais interessante um com desenho exclusivo. Ao observar com mais atenção a parte interna, a diferença entre os dois modelos fica por conta do novo grafismo do painel de instrumentos, da aplicação de alumínio no console central, nas pedaleiras polidas e do acabamento das portas. De resto, a maioria dos comandos são encontrados no restante da família Peugeot, como a tela de iluminação vermelha, que mostra informações do som e do computador de bordo. O único problema fica pelo fato do carro ser muito baixo e ter que fazer um certo malabarismo para entrar. A posição de dirigir dá a entender que estamos em um modelo esportivo, pois as pernas ficam retas e o corpo fica rente ao chão.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
No Brasil, o RCZ é vendido em versão única e bem completo, com itens de série que incluem ar-condicionado digital dual zone, vidros e travas elétricas, airbags frontais e lateriais, direção com assistência eletro-hidráulica, freios ABS com EBD além dos controles de tração e estabilidade. Além destes "básicos", o modelo também dispõe de mimos como bancos elétricos e com aquecimento (incluindo o do motorista, com memórias), faróis com acionamento automático, faróis de xenônio direcionais, limpadores de parabrisa e sensor de baixa pressão dos pneus. O seu porta-malas carrega entre 321 e 639 litros, nada mal para um cupê esportivo.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
Sob o capô, o felino oferece um conjunto motor e câmbio já conhecido do brasileiro (é o mesmo do crossover 3008): o moderno 1.6 16V turbo THP que gera suficientes 165 cv (ante 156 do 3008) a 6 mil rpm. Produzido em parceria com BMW, este motor trabalha em conjunto com o câmbio automático de seis marchas Tiptronic, com conversor de torque, com opção de trocas sequenciais na alavanca (seria melhor atrás do volante). O motor é bem honesto para o carro, mas se tivesse uns 20 cv a mais seria de bom tamanho e daria mais emoção da hora de dirigir. O câmbio dá uns trancos nas retomadas, mas nada que atrapalhe as mudanças, mas o resultado do conjunto é bem agradável. As acelerações foram lineares, mas as ultrapassagens na estrada exigiram um pouco mais de força no pedal do acelerador, passando a impressão de uma certa falta de fôlego.
Avaliação - Peugeot RCZ 1.6 16V THP 2012
Em um teste feito na serra que liga o Rio a Itaipava, o cupê da Peugeot se saiu muito bem. O conjunto da suspensão é esportiva, com molas e amortecedores duros, o que agrada nas curvas, mesmo que mais fechadas, o RCZ parecia andar sobre trilhos o tempo todo. Sem alarde algum, um aerofólio escamoteável levanta quando o carro chega a 85km/h, podendo ficar mais aberto até os 155km/h, tudo para manter o cupê no chão. Os pneus de perfil baixo também contribuem para essa ótima performance na estrada, porém, deixa a desejar nas ruas esburacadas da cidade, transmitindo todas as irregularidades para dentro do habitáculo. Em resumo, o Peugeot RCZ entrega talvez o mesmo impacto visual de um Audi TT por um preço bem mais acessível. O desempenho "esportivo" pode ser considerado honesto e suficiente como mostra, por exemplo, a aceleração de 0 a 100 km/h feita em apenas 8,4 segundos. Preço: R$ 139.900 FICHA TÉCNICA: Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, alimentado por turbina de hélice dupla, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro. Comando duplo de válvulas no cabeçote com sistema de variação de abertura na admissão e escape. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico. Transmissão: Câmbio automático com modo manual sequencial de seis marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Oferece controle de tração. Potência máxima: 165 cv a 6 mil rpm. Aceleração de 0 a 100 km/h: 8,4 segundos. Velocidade máxima: 213 km/h. Torque máximo: 24,5 kgfm a 1.400 rpm. Diâmetro e curso: 77,0 mm x 85,8 mm. Taxa de compressão: 11,0:1. Suspensão: Dianteira McPherson com rodas independentes, barra estabilizadora, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos pressurizados. Traseira com rodas independentes, travessa deformável e amortecedores hidráulicos pressurizados. Oferece controle de estabilidade. Pneus: 235/45 R18. Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS. Carroceria: Cupê em monobloco com duas portas e quatro lugares. Com 4,28 metros de comprimento, 1,84 m de largura, 1,35 m de altura e 2,61 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais e laterais. Peso: 1.363 kg. Capacidade do porta-malas: 321 litros. Tanque de combustível: 55 litros. Produção: Sochaux, França. Lançamento: 2010. Lançamento no Brasil: 2011. Itens de série: Airbags frontais e laterais, aerofólio móvel, controle de estabilidade, faróis de xenon, ABS com auxílio a frenagem de emergência e repartidor eletrônico de frenagem, sensor de luminosidade, ar-condicionado dual zone, bancos de couro com aquecimento, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, direção assistida, cruise control, trio elétrico, retrovisores eletricamente rebatíveis, rádio/CD/MP3/USB/AUX/Bluetooth e rodas de liga leve de 18 polegadas. Galeria de Fotos: Peugeot RCZ 2012 Texto e Fotos: Marcus Lauria

Seja parte de algo grande