Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar

Depois de adiar o lançamento, e das recentes campanhas publicitárias bombando na internet, a Chery finalmente lança o Celer. Com destaque para o pacote de equipamentos "completão", o modelo chega importado da China antes de estrear a linha de produção da futura fábrica em Jacareí no inicio de 2014. Com visual agradável, acabamento mediano e desempenho idem, no quesito preço e mercado, ele deve concorrer no segmento de Onix, Fox, HB20, Palio e Sandero. Mas é claro que a sua fatia de mercado é menor, já que a marca espera vender entre seis e sete mil unidades do modelo em 2013.
Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar
O que é? Carro mundial da Chery, o Celer foi projetado e desenvolvido na Itália. O visual causa impressão melhor ao vivo do que nas fotos. Medindo 4,13 metros na versão hatch e 4,26 metros no sedã, ele tem porte um pouco acima da maioria dos compactos. O porta-malas da versão hatch abriga bons 380 litros, enquanto no sedã são 450. Por dentro, o visual parece um pouco antiquado e não agrada tanto. O acabamento de uma forma geral não chega a ser ruim, mas faltou inspiração no desenho do painel, por exemplo. Apesar disso, ele conta com alguns porta-objetos e tem bom espaço interno para os ocupantes. O pacote de equipamentos é completo: ar-condicionado, direção hidráulica, freios ABS/EBD, airbag duplo, vidros elétricos nas quatro portas, sistema de som MP3 com entrada USB, rodas de liga leve aro 15, ajuste elétrico dos retrovisores, ajuste de altura do volante e do banco do motorista, sistema follow me e faróis de neblina entre outros.
Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar
De acordo com a marca, o Celer passou por mais de 140 modificações para ser vendido no Brasil. As mudanças foram aplicadas no motor, câmbio, sistema de som e acabamento interno. O painel foi todo refeito em relação a versão chinesa, mas ainda apresenta visual simples demais e o acabamento adota novas cores mais escuras ao gosto do brasileiro. Como anda? O trajeto foi todo em rodovia, com velocidade média de 110 km/h. O Celer vai bem nas acelerações, levando em conta a potência e o peso do carro. Nas ultrapassagens e retomadas de velocidade, é preciso reduzir a marcha, mas nada que chegue a irritar.
Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar
A suspensão absorve bem os impactos, mas na estrada não apresenta um comportamento dinâmico muito bom. Em mudanças rápidas de faixa o carro oscila bastante e em curvas mais acentuadas a traseira escapa um pouco, algo que não era esperado para um carro de 1.200 kg. O nível de ruído fica um pouco acima da média. A direção hidráulica tem peso correto em velocidades altas, mas não é tão precisa, enquanto a ergonomia para o motorista podia ser melhor. Além disso, o pedal da embreagem é brusco, e o do freio não tem progressividade, tornando as frenagens desconfortáveis.
Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar
A mecânica conta com o motor 1.5 16V de 108 cv e torque máximo de 14,0 kgfm a 3.000 rpm (gasolina), associado ao câmbio manual de cinco marchas. O motor é um projeto austríaco e o sistema flex foi desenvolvido pela Delphi. Curiosamente a Chery não divulgou os dados de aceleração, nem as especificações com etanol, devido ao modelo não ter realizado ainda todos os testes para homologação com o combustível vegetal. De qualquer forma, a Chery divulga velocidade máxima de 160 km/h com gasolina. Dados modestos, mesmo levando em conta o peso de 1.200 kg.
Volta Rápida: Chery Celer não é "peladão", mas pode melhorar
Quanto custa? Custando R$ 35.990 e 36.990 (hatchback e sedã), ele é bonito, tem pacote completo e conta com o bom espaço interno. No geral não chega a decepcionar, mas esse chinês ainda pode evoluir em alguns aspectos para melhorar a dirigibilidade. Não é uma tarefa tão díficil para a Chery resolver isto, e quem sabe o modelo nacional já apresente melhorias neste ponto.

Seja parte de algo grande