Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?

Ao comprar um carro, tenho a teoria de que é preciso estabelecer limites de valores para cada segmento. Se não fizer isso, acaba-se levando um carro menor ultra-recheado pelo preço de um modelo do segmento acima com menos recheio. Pois aqui entra o termo "basicão", que abre a pergunte principal deste post: vale a pena pagar R$ 100 mil no A3 Sedan 1.4 Turbo de entrada?
Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?
Vamos aos fatos. Este A3 Sedan da nossa garagem é o mais barato, versão Attraction, que na tabela custa R$ 106.990, mas promocionalmente até o fim deste mês sai por R$ 97.990. No papel, o conteúdo é modesto. Faz parte o sistema de som Rádio MMI com o Audi Music Interface (interface que precisa de cabo adicional para USB ou entrada iPod/iPhone) e Bluetooh com áudio streaming. Detalhe: a qualidade do som mesmo nesta versão de entrada é sensacional. Apesar da tela fininha que se esconde no painel, é preciso adquirir o MMI Plus para ter sistema de navegação. Como disse o editor Daniel Messeder, os bancos de tecido destoam da qualidade geral do acabamento. Em relação aos itens de segurança, temos airbags dianteiros e laterais, ESP, freios a disco nas quatro rodas, suspensão traseira multilink, freio de estacionamento elétrico, faróis bi-xenônio com ajuste automático de altura, iluminação diurna por LED's e lanternas traseiras de LED.
Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?
Sentiu falta de alguma coisa? Num sedã médio de uma marca não "premium", entrariam fácil bancos de couro, sensores de estacionamento, teto-solar, abertura da porta por aproximação da chave, ignição por botão, acendimento automático dos faróis, acionamento automático do limpador de para-brisas, rodas de 17 polegadas e até TV digital. Lembre-se, estamos falando de um sedã médio de até R$ 100 mil. Confesso que naquela minha teoria de selecionar carros com certos limites, estes itens são cruciais neste segmento - principalmente pelo preço que se paga.
Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?
Acontece que a Audi resolveu adotar uma nova estratégia, quase que criando um novo segmento. Na prática, o A3 é um "sedã médio premium de entrada". O lado ruim é a ausência dos mimos, mas o lado extremamente positivo é o conjunto mecânico de primeira linha aliado a um padrão de construção extremamente refinado. Já gostava do A3 Sportback, mas com o sedã a Audi se superou.
Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?
Recebo o carro para rodar por alguns dias. A primeira coisa é reclamar do que não tem, afinal, é um Audi e estamos num carro de R$ 100 mil. Tenho de ajustar manualmente o banco, ligar o carro girando a chave, retrovisor que não é fotocrômico, falta sensor de estacionamento dianteiro e/ou traseiro, preciso acender os faróis... Sim, estava mal acostumado com os mimos. Começo a rodar pela cidade passando valetas e ruas esburacadas pelas chuvas frequentes. Hum... o carro é macio, encara bem essas imperfeições que conhecemos. Aliada às rodas de 16 polegadas, a suspensão tem ótimo acerto para o Brasil, sendo confortável e filtrando muito bem as irregularidades. Boa arrancada, aceleração vigorosa e ganho de velocidade rápido. São 122 cavalos de potência e torque de 20,3 kgfm disponíveis entre 1.500 e 4.000 rpm. Peraí, 122 cv? Acredite, se você acelerar este carro nunca dirá que tem apenas 122 cv. Outro grande destaque é a configuração da transmissão de dupla embreagem, S-Tronic de sete marchas, extremamente precisa e rápida.
Garagem CARPLACE#2: Quem quer um A3 Sedan 1.4 "basicão"?
Além do prazer ao dirigir, o A3 Sedan 1.4 também me conquistou por outro motivo: o consumo. Na cidade, o sedã oscilava entre 12,5 km/l e 15 km/l, mesmo em situação de trânsito pesado, o que manteve por um bom a autonomia do carro acima dos 500 quilômetros. Esse resultado é reflexo do conjunto motor e câmbio muito bem acertado, do sistema start-stop que desliga o motor quando o carro para e o uso de pneus de baixa resistência à rolagem ("verdes"). Na estrada, se engana quem acha que o carro é fraco. Óbvio que não tem o mesmo desempenho de um Jetta 2.0 TSI, mas para andar dentro das velocidades legais é bem ágil, e acima disso, é extremamente "na mão". Andando a 120 km/h, o consumo ficou em 17 km/litro. Se você dirige por vias de velocidades mais baixas, como as vias expressas de 90 km/h, pode voltar para casa com um sorriso no rosto como reflexo dos 20,4 km/litro indicados pelo computador de bordo. Mas, afinal, vale a pena pagar R$ 100 mil num carro sem os tais mimos? Na minha opinião, vale sim. Ah, mas tem o Fusion. Sim, tem, é mais potente, mas é um carro maior pois já entra em outro segmento, com dinâmica de condução diferente, mais baixo e com consumo maior. Como prezo muito o prazer ao volante, escolheria o A3. Destaco o refinamento da construção, carroceria extremamente rígida, baixíssimo nível de ruído, conforto de rodagem, dirigibilidade, desempenho e consumo, principalmente agora com a gasolina nas alturas. E os mimos? Já os esqueci! Texto e fotos: Fábio Trindade

Galeria: Audi A3 Sedan 1.4 T Attraction 2015

Seja parte de algo grande