Carro elétrico compartilhado estará nas ruas de Fortaleza (CE) em setembro

Ainda distantes do dia a dia da maioria dos brasileiros, as novas soluções de mobilidade começam lentamente a dar as caras no país. Neste caso, trata-se do VAMO, um sistema público de carros elétricos compartilhados que começa a funcionar em Fortaleza (CE) no mês de setembro. Primeiro projeto público desse tipo no país, o sistema teve o edital lançado em janeiro e tinha como exigência a utilização de carros elétricos. Serão oferecidos dois modelos: o pequeno Zidhou EEC L7e-80, com capacidade para duas pessoas, e o BYD e6, mais espaçoso e que pode levar até 5 pessoas, ambos importados da China. Leia também: Zotye apresenta futuros nacionais e confirma urbaninho 100% elétrico para 2017 Previsto para chegar às ruas de forma definitiva em setembro na capital cearense, o minicarro Zhidou está exposto em um dos shoppings da cidade. “É um carro muito pequeno, ocupa um espaço bem menor na cidade. Poderia colocá-lo em qualquer lugar. Dá vontade de levar para casa. Quando eu e meu filho o vimos, disse que ele daria certinho para a gente”, conta o professor Assis Oliveira, de 41 anos. Responsável pelo projeto, Sued Lacerda, engenheiro da Prefeitura de Fortaleza, explica que a fase de testes serve exatamente para chamar a atenção da população e também para que os futuros usuários se familiarizem com os modelos e com a forma de funcionamento do sistema: “Esta fase está sendo muito positiva. A população está muito curiosa e boa parte está interessada e procurando informações no estande. Já temos quase 200 cadastros. Eu acompanhei um usuário e ele ficou muito satisfeito e curioso pelo fato de o carro não fazer muito barulho. Gostou também da praticidade de o carro ser automático.” Como na maioria desses sistemas, as portas do veículo são destravadas por um aplicativo e o carro começa a funcionar ao apertar um botão que fica ao lado do volante. As informações sobre a carga da bateria e o consumo em quilowatts (kW) aparecem no painel digital. A bateria do modelo leva 3 horas para carregar completamente e tem autonomia de 250 quilômetros. Depois da operação assistida (fase de testes) durante o mês de agosto, o sistema começa a funcionar pra valer a partir de 1º de setembro com 12 estações e 20 veículos, sendo 15 Zhidou e 5 BYD. A taxa de adesão ao sistema será de R$ 40, que serão convertidos em crédito e cobrados mensalmente. Os primeiros 30 minutos de uso custarão R$ 20. Depois desse período, o usuário será cobrado por minuto: para até 60 minutos adicionais, por exemplo, cada minuto custará R$ 0,80. O preço do minuto cai à medida que o usuário permanece por mais tempo com o veículo. Fonte: Agência Brasil

Seja parte de algo grande