A maioria dos "art cars" são BMW, mas este é um humilde Renault

Para ser bem honesto, eu não tinha ideia do que era esse negócio de "Gesturismo". É um movimento criado por Sen Shombit, um artista francês nascido na Índia, descrito por seu autor como uma "celebração criativa dos gestos sem limites de todos os seres humanos do nascimento até a morte." No caso desse "art car", ele descreve como "uma forma de diálogo entre a pintura e o design, a arte e a tecnologia e entre ele, o artista, e a Renault".

Nascido em Calcutá, Shombit diz que o manifesto do Gesturismo contém o seguinte:

  • Improviso e impulsos naturais
  • Energia ilimitada da conduta humana
  • Dinâmica, repleta de pulsações naturais
  • Choque de diferenças
  • Talento manual, sem o uso de arte digital

O artista de 62 anos foi convidado pela Renault da Índia para elaborar sua versão pessoal do pequeno Kwid para uma exposição chamada "Désordre" (confusão, em português), que acontecerá até 27 de dezembro em Barbizon, localizada cerca de 60 km ao sul de Paris.

Nas palavras da Renault:

"É a primeira vez que o artista expressa sua narrativa por meio de seu próprio estilo na forma de arte, em contraste com art cars anteriores de famosos como Lichtenstein, Warhol, Koons e Calder e suas caraterísticas pessoais.“

O principal mercado do Kwid é a Índia, mas a Renault o fabricará no Brasil em 2017. Seu lançamento na Europa não é considerado em primeiro momento, mas a Dacia, braço "acessível" da Renault disse, por meio de seu diretor comercial, François Mariotte, "nunca diga nunca" para o JournalAuto no mês passado.

As chances de ver o Kwid no Velho Continente são poucas, pois o modelo terá que passar por diversas modificações para atender às normas mais exigentes de segurança da Europa, como a Renault diz ter adaptado o modelo para o mercado brasileiro. A versão original do Kwid ganhou zero estrelas nos crash tests da Global NCAP em maio, enquanto um modelo melhorado chegou a uma estrela em setembro. 

Outra razão para a não-chegada de um Kwid da Dacia na Europa seria o risco de canibalizar as vendas do Sandero Stepway. E os modelos da Dacia já custam bem pouco naquele mercado, como mostrou a chegada de Sandero e Logan ao Reino Unido.

Quanto a este carro colorido, obviamente ele será único. 

Fonte: Renault                        

Seja parte de algo grande