A nova regra poderia entrar em vigor em cerca de dois anos e adicionaria US$ 350 ao preço dos veículos

O Departamento de Transportes dos EUA acredita que a comunicação entre veículos, chamada de V2V, poderia tornar o ato de dirigir muito mais seguro, prevenindo pelo menos 1.000 mortes por ano naquele país. Por conta disso, ele está propondo uma lei que colocaria uma versão padronizada da tecnologia em cada um dos veículos novos vendidos no mercado americano.

Como a própria sigla denuncia (Vehicle-to-vehicle, ou veículo a veículo), a comunicação V2V permite que os automóveis troquem informações entre si. Sob o padrão proposto pelo departamento, eles seriam capazes de enviar informações a até 300 metros de distância, inclusive para áreas distantes da visão do motorista. Os veículos não teriam uma identificação e as transmissões não teriam nenhuma informação pessoal, o que deve evitar preocupações com privacidade. Com isso, o sistema atuaria como um reforço a sistemas de segurança existentes. Um exemplo é que seu controlador de velocidade adaptativo saberia que o tráfego à frente parou, podendo reagir mais rapidamente à situação.

Leia também:

A comunicação V2V também tem o potencial de fazer carros autônomos ainda melhores. Eles já têm um  monte de sensores, mas a comunicação V2B pode saber o que está acontecendo muito além deles. Ao combinar os dois sistemas, os softwares de controle teriam muito mais dados disponíveis para tomar suas decisões no controle do carro.

A NHTSA estima que o equipamento V2V e a infraestrutura aumentariam o preço dos veículos em algo entre US$ 341 e US$ 350 em 2020 e em algo entre US$ 209 e US$ 235 em 2058. Em contrapartida, os cálculos da agência indicam uma economia de US$ 54,7 bilhões a US$ 74 bilhões depois de ampla adoção da tecnologia devido à maior segurança que ela proporcionaria.

O Departamento de Transporte agora vai abrir a proposta para consulta pública por 90 dias. Depois de ser implementada, os fabricantes teriam que colocá-la em metade de seus veículos em um prazo de 2 anos, de acordo com o Automotive News. A lei se aplicaria a toda a linha de uma fabricante após 4 anos.

O governo americano também está pesquisando a melhor forma de criar um padrão para as comunicações V2V. É uma tecnologia similar à que permite a troca de informações com semáforos, sinais de trânsito e mesmo zonas de trabalho. Falamos recentemente de um piloto da tecnologia V2I (vehicle-to-infrastructure, ou veículo para a infraestrutura) que a Audi está fazendo em Las Vegas.

Fonte: Departamento de Transporte dos EUA, Automotive News

Seja parte de algo grande