Impressões Chevrolet Equinox 2.0 turbo - O que esperar do sucessor do Captiva?

Esta não é a primeira vez que você vê uma avaliação do Equinox aqui no Motor1. Mas isso tem uma boa explicação: num primeiro momento, a Chevrolet liberou para testes apenas a versão com motor 1.5 turbo e câmbio de 6 marchas - conjunto que a GM do Brasil achou "limitado" para nosso mercado, onde vai substituir o Captiva. Pois agora foi a vez de conferir como anda o SUV na versão que será lançada por aqui até o fim do ano: motor 2.0 turbo e câmbio de 9 marchas, o mesmo trem de força usado na versão de "entrada" do Camaro nos EUA. 

 

 

 

O Equinox 2018 é uma total reconstrução de um dos mais populares crossover da marca nos Estados Unidos. A versão aqui analisada, a Premium, traz o motor mais potente e a opção de tração integral, exatamente como chegará ao Brasil. É a melhor configuração do modelo, mas ainda tropeça em alguns pontos. 

Prós

Rodar confortável e sólido - O Equinox oferece um acerto que tende mais ao conforto que a esportividade e robustez. Sabemos que é um veículo familiar e a suspensão é acertada para uso diário, entre deixar as crianças na escola e ir ao mercado. Ainda assim, a dirigibilidade do Equinox é mais estável e sólida que, por exemplo, de uma minivan. 

 

2018 Chevrolet Equinox: First Drive

 

Forte e, ao mesmo tempo, manso - Minha parte favorita do Equinox é seu motor 2.0 turbo, não apenas pelos seus 262 cv e 37 kgfm de torque que movem o crossover de 1.587 kg (ou 181 kg a menos que o anterior), mas a forma como que ele faz este serviço. O crédito vai para o bom isolamento acústico, sistema de cancelamento de ruídos e uma transmissão bem calibrada com 9 marchas. Este última está disponível apenas com o motor 2.0 nas versões LT e Premier. O motor de série para as demais versões é o 1.5 turbo e câmbio automático de 6 marchas.  

 

2018 Chevrolet Equinox: First Drive

 

Piso plano - O Equinox tem um dos melhores espaços para carga que já vi com os bancos traseiros rebatidos. Ele consegue ter mais espaço que qualquer outro crossover (como referência, ele leva 1.854 litros de qualquer coisa). Além disso, o piso é totalmente plano de ponta a ponta, bastante útil. O crédito é da segunda fileira de bancos que, quando abaixada, se recolhe completamente, não criando uma rampa como na maioria dos crossovers. 

2018 Chevrolet Equinox: First Drive
2018 Chevrolet Equinox: First Drive

Contras

Estilo brando - O Equinox não é feio, mas o visual da linha 2018 não é atraente como o de seus concorrentes, por exemplo, o Hyundai New Tucson. Mas ninguém consegue olhar para este Equinox sem ter uma opinião sobre esta cor Ivy Metallic do modelo avaliado. Inicialmente não gostei, mas depois reconsiderei. 

Pouco esterço - O raio de curva do Equinox é relativamente largo, com 11,4 metros de diâmetro. Melhor que a geração anterior, que pedia mais de 12 metros, o que é muito para as manobras apertadas. Como comparação, o Toyota RAV4 pode fazer o mesmo em 10,6 metros. Estes 80 cm podem não parecer muito, mas em estacionamentos apertados é a diferença entre entrar direto em uma vaga e ter que dar ré uma ou duas vezes. Eu fiz isso algumas vezes com o Equinox. 

O preço dos equipamentos - A maioria dos equipamentos interessantes do Equinox estão em pacotes caros disponíveis apenas em versões mais caras. A concorrência segue um caminho diferente, oferecendo muitos opcionais por preços atraentes em versões de entrada. Por exemplo, os itens de segurança como o sistema de frenagem automática. No Chevrolet, esta tecnologia está disponível apenas na versão mais cara (a Premier de US$ 31.735) em um pacote de US$ 1.895. O Equinox vai além com itens mais baratos. Você não leva mais de uma porta USB se não pagar por um pacote de US$ 1.995 no segundo mais caro pacote. 

 

2018 Chevrolet Equinox: First Drive

E no Brasil?

Restam poucas dúvidas de que o Equinox vai agradar em cheio no Brasil pelo motor e espaço. Fica em aberto a questão dos equipamentos que a Chevrolet vai oferecer por aqui, de modo a não deixar o modelo muito caro. Pelo que ouvimos de fontes ligadas à GM, a ideia é que o SUV custe cerca de R$ 150 mil - valor que o deixaria na briga com Jeep Compass, Hyundai New Tucson e Peugeot 3008, com vantagem em espaço e desempenho. A ver.  

 

Fotos: Motor1.com

Leia a avaliação completaVeja menos