Especialista esclarece principais dúvidas sobre a blindagem de automóveis

A blindagem automotiva tem sido um recurso cada vez mais utilizado por pessoas que temem ser ou já foram vítimas da crescente violência urbana, principalmente nas grandes capitais. O especialista Fabio Viscardi, da Tecpro Blindagens responde as seis perguntas mais frequentes sobre o assunto.
Especialista esclarece principais dúvidas sobre a blindagem de automóveis
1) Qualquer veículo pode ser blindado? Todos os modelos de carros podem receber a blindagem, com a ressalva de que tenham potência superior a 90HP. Veículos com potência menor - como os de motor 1.0 - não devem receber a proteção, já que o peso da blindagem adicionada ao veículo reduz o desempenho do mesmo. 2) Como é feita a blindagem e em quais áreas do veículo? Depois de passar por uma vistoria para verificar funcionalidade dos sistemas em geral, o carro recebe uma proteção externa. As peças internas de forração, bancos e sistemas de acionamento de vidros são desmontados, para que a parte opaca (lataria) receba painéis balísticos, fios e tecidos Twaron® vulcanizados a base de Neopreme em nove camadas que possuem resistência balística. Os painéis são instalados no teto integral, portas, painel inferior (onde ficam os pedais), caixas de rodas, para-lamas dianteiros e painel corta-fogo. Já nas colunas, no encosto do banco e tampão traseiro, fechaduras e retrovisores das portas é colocado aço inox de 3mm. O mesmo material também é colocado em toda a borda do párabrisa, vigia, portas e vidros fixos - processo chamado "overlap" - para bloquear qualquer ponto de vulnerabilidade. Na área transparente do automóvel, os vidros são substituídos por outros com espessura de 21 mm que obedecem aos requisitos técnicos baseado nas normas NIJ 0108.01 cercando todo o veículo com a proteção. 3) Quanto tempo demora o processo de blindagem? O trabalho é feito em aproximadamente 30 dias. O ideal durante esse período é que o dono do carro visite a fábrica para acompanhar todas as etapas do processo. Isso gera mais confiança com relação ao trabalho ali realizado e constata que o que foi vendido foi realmente executado. 4) Qual é o nível de blindagem mais recomendado? O nível mais utilizado do mercado é o III-A, que suporta até a cinco disparos de Magnum.44. Existem níveis inferiores - porém não mais indicados devido ao grau de violência atual - e superiores, mas de uso restrito às Forças Armadas. 5) Para se blindar um carro, há documentações específicas? Sim. Tanto pessoa física quanto jurídica precisa apresentar vários documentos, inclusive atestado de antecedentes criminais para solicitar a licença, que é obrigatória junto ao Exército Brasileiro. 6) Que cuidados devem ser tomados na escolha da blindadora? Solicitar documentos que comprovem que a empresa é legalizada junto ao Exército Brasileiro, na Polícia Civil e na Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin). Verificar se os fornecedores utilizados por ela também são legalizados junto ao Exército. Atentar para propostas mirabolantes e preços muito baixos, pois podem estar comprometendo a sua segurança. Comprovar idoneidade da empresa, transparência e tempo de atividade no segmento são outros cuidados importantes que devem ser analisados antes de se bater o martelo e concretizar o negócio com qualquer empresa. Fonte: Fábio Viscardi, diretor da Tecpro Blindagens

Seja parte de algo grande

Especialista esclarece principais dúvidas sobre a blindagem de automóveis

Foto de: Fábio Trindade