Coluna Alta Roda - Direto de Paris: Subsídios aos elétricos

Não se pode dizer que o Salão do Automóvel de Paris está sendo uma festa só, até este domingo, mas todos se esforçam para passar a melhor das impressões. Diferentemente do ocorrido em 2008, crise financeira internacional batendo à porta, prevalece a confiança na recuperação do mercado mundial (a China puxa o crescimento) e europeu em particular. Entretanto, ocorrem assimetrias. Enquanto a pequena Lotus inglesa, controlada pela Proton, da Malásia, apresenta cinco projetos novos, outras, bem maiores, quase nada exibiram em termos de novidades. A Fiat, por exemplo, preferiu aguardar tempos melhores. As apostas na solução elétrica continuam onipresentes. A Ford ressalva a incômoda dependência de subsídios de governos já bem endividados. A Renault, despreocupada, amplia sua estratégia de carros elétricos a bateria – descartou os híbridos –, apresentando o compacto ZOE (para 2012) e o esportivo conceitual DeZir. Este traz a nova identidade estilística da marca, a estrear no Clio 2012. A Peugeot, além dos elétricos, vai de híbridos, a exemplo do crossover compacto HR1 que tem tudo para entrar em produção. A hibridização, combinação de motores a combustão e elétrico, avança mais rápido e inclui pela primeira vez um compacto, o Honda Jazz/Fit. Quanto à ousadia de linhas e projeto, poucos chamam tanta atenção como o urbano elétrico conceitual Kia Pop, três passageiros e três metros de comprimento. Destaque na Citroën aos novos médios-compactos C4 e DS4 e o carro-show Lacoste, elétrico. Entre os médios-grandes, a Volkswagen apresenta o novo Passat, que reina nesse segmento, apesar dos concorrentes não darem trégua, a exemplo do estreante Peugeot 508. No degrau acima, a Mercedes-Benz lança a primeira evolução do pioneiro sedã-cupê CLS. A Audi responde com o A7 Sportback e destaca um modelo conceitual que lembra os 30 anos do Audi Quattro, de tração integral. A BMW apresenta, quase pronto, a antevisão do cupê da Série 6, um dos modelos mais atraentes no salão. Dos superesportivos expostos impressiona o futurístico Lamborghini Sesto Elemento, com amplo uso de fibra de carbono. Pesando apenas 999 kg e 570 cv de potência, antecipa alguns traços do novo Murciélago. Ferrari SA Aperta e Porsche 911 Speedster, ambos conversíveis, são séries especiais de 80 e 356 unidades, respectivamente. Para produção no Mercosul, apenas duas novidades. A terceira geração do Focus, prevista para a Argentina em 2012, começa na Europa em 2011. O Chevrolet Cruze hatch, a ser fabricado no Brasil ao lado do sedã, substituirá Astra e Vectra a partir do próximo ano. Em Paris foi sacramentado o acordo Renault-Nissan e Mercedes-Benz (Daimler) para novos carros urbanos e motores. Quem sabe com desdobramentos futuros. Ferdinand Piëch, presidente do conselho do Grupo Volkswagen, anunciou que pretende ampliar seu portfólio de marcas de 10 para 12 ou 13 (incluindo caminhões MAN). Além da Suzuki (20% já são da VW), disse que pode esperar a Fiat decidir sobre a Alfa Romeo. Sergio Marchionne respondeu à Automotive News Europe que a Alfa não está à venda, mas se conversa sobre uma proposta de um bilhão de euros... Pelo visto, ainda há consolidações em curso no mundo. RODA VIVA QUE TAL a garantia eterna para um carro? A Opel, subsidiária alemã da GM, promete isso, mas estabelece o limite de 160.000 quilômetros no hodômetro. O governo alemão acusa a campanha promocional de propaganda enganosa. A Opel vai mantê-la, alegando que contratos de garantia impõem restrições de tempo ou quilometragem, prevalecendo o que primeiro ocorrer. ESCALADA do preço do combustível dói no bolso mesmo de quem tem poder aquisitivo alto e hábitos arraigados. Até nos EUA. Em 1969 cerca de 90% dos veículos vendidos lá eram equipados com motores V-8 e, portanto, de cilindrada maior. Ao final do ano passado a proporção havia caído para apenas 5%. Os de 4 cilindros, mais econômicos, representaram 62% do total. MERCEDES-BENZ trocou o compressor por turbocompressor e passou a injeção direta de gasolina no modelo de entrada do Série C. Essa solução técnica tende a se expandir celeremente. O C180 CGI manteve os 156 cv de potência, porém o torque de 25,5 kgf.m deu um salto de quase 10%. Houve pequena subida no preço, para R$ 115.000,00. EMPRESA multinacional especializada em serviços de vidros, a Carglass, do grupo sul-africano Belron, está há mais de 15 anos no Brasil. Em suas 60 lojas as películas escurecedoras instaladas respeitam a regulamentação brasileira de transmitância luminosa. Inclusive aquelas de proteção contra estilhaçamento dos vidros laterais e arrombamento do veículo. CORREÇÃO: na nova Montana o rebatimento total do encosto se refere apenas ao banco do acompanhante. Dacia fabrica na Europa a picape derivada do Logan, mas o mercado é pequeno. Na África do Sul, modelo equivalente à Courier, com o nome de Ford Bantam, ainda é produzida; a picape baseada na primeira geração do Golf foi descontinuada.
Coluna Alta Roda - Direto de Paris: Subsídios aos elétricos
Sobre: Fernando Calmon (fernando@calmon.jor.br) é jornalista especializado desde 1967, engenheiro, palestrante e consultor em assuntos técnicos e de mercado nas áreas automobilística e de comunicação. Sua coluna Alta Roda começou em 1999. É publicada no CARPLACE e em uma rede nacional de 70 jornais, sites e revistas. É, ainda, correspondente para a América do Sul do site just-auto (Inglaterra).

Seja parte de algo grande

Coluna Alta Roda - Direto de Paris: Subsídios aos elétricos

Foto de: Fábio Trindade