Bônus: Teste dos Freios ABS na versão Fluence Dynamique com câmbio manual - VÍDEO

Depois da adrenalina de pilotar o Fluence automático na pista, a Renault também ofereceu o teste dos freios ABS (EBD + AFU) em outra parte do autódromo. Para este teste, a versão escolhida pela marca foi a Dynamique equipada com câmbio manual e rodas de liga leve de 16 polegadas.
Bônus: Teste dos Freios ABS na versão Fluence Dynamique com câmbio manual - VÍDEO
Antes de começar, uma breve explicação do funcionamento do ABS, EBD e AFU, itens de série em qualquer versão do Fluence. Logo após, a primeira simulação feita pelos instrutores e nós como passageiros. Sobre o ABS ABS, abreviação de "Antilock Brake System" (sistema antibloqueio de frenagem). O ABS, durante a frenagem de emergência, evita o travamento de uma ou mais rodas. Um sistema de quatro sensores de velocidade, um em cada roda, percebe quando o pneu começa a perder a aderência com o solo e imediatamente alivia a pressão hidráulica na roda em travamento, evitando a derrapagem. Sobre o AFU (também chamado de BAS) AFU é a abreviação de "Aide au Freinage d´Urgence" (auxílio à frenagem de urgência) e BAS de "Break Assist System". Mesmo em uma situação de emergência, o motorista comum tem forte tendência a frear abaixo da capacidade do carro. O AFU e o BAS (ou apenas BA) são sistemas parecidos que detectam essa situação pela forma como se pisa no pedal e amplificam o esforço, reduzindo o espaço necessário para frenagem. Em casos de emergência, a trepidação do pedal pode fazer com que o motorista alivie a pressão, minimizando ou até mesmo anulando o efeito do ABS, e isto não é o correto. O AFU visa corrigir esta falha do motorista. O sistema detecta a velocidade com que o freio foi acionado e se considerar que foi uma frenagem de emergência, a função aplica a "força" extra ao freio. Sobre o EBD EBD é a sigla para Electronic Brakeforce Distribution" (sistema de distribuição eletrônica de frenagem). Trata-se de um dispositivo eletrônico incorporado ao ABS que redistribui a frenagem entre os eixos em situações normais, sendo 30% da força é aplicada ao eixo traseiro e 70% ao dianteiro (este valor pode variar). Em carros sem o EBD, esse controle é feito por uma válvula mecânica sensível à carga no eixo traseiro. Praticamente todos os carros com ABS produzidos atualmente têm EBD.
Bônus: Teste dos Freios ABS na versão Fluence Dynamique com câmbio manual - VÍDEO
Depois da explicação, cada um assume a direção de um carro. Em relação ao Dynamique, o acabamento da versão Dynamique não deixa nada a desejar. No centro do painel, ao invés do navegador, um display com informações de hora e rádio, entre outros. No Nissan Sentra, que emprestou o conjunto mecânico para o Fluence, a principal reclamação da versão com câmbio manual é a dureza do pedal de embreagem. No Fluence a história é completamente diferente. A embreagem é muito leve e os engates das marchas são curtos e precisos. Ao acelerar, a agilidade da versão manual em relação a automática é evidente. Como a pista era curta, era preciso virar o volante completamente para retornar, condição que também deixou claro a leveza da direção elétrica durante a manobra.
Bônus: Teste dos Freios ABS na versão Fluence Dynamique com câmbio manual - VÍDEO
O teste em si é básico: acelerar de 0 a 80 km/h, manter a velocidade e quando passar pela marcação, uma indicação luminosa vermelha na pista indica o momento de frenagem. Pressão total no freio, a dianteira inclina um pouco, mas o controle do carro é impecável. Como era para conhecer o carro, a marca não ofereceu uma versão sem ABS. VÍDEO: Instruções e demonstração com o instrutor Depois que qualquer motorista faz um teste real com um carro sem ABS e outro com o equipamento, dificilmente aceitará um novo carro sem o equipamento.

Seja parte de algo grande

Bônus: Teste dos Freios ABS na versão Fluence Dynamique com câmbio manual - VÍDEO

Foto de: Fábio Trindade