Elétricos: segmento depende da ajuda de Barack Obama

É bastante provável que o governo de Barack Obama não atinja a meta de colocar um milhão de carros elétricos nas ruas norte-americanas até 2015. É o que afirma um levantamento feito pela Universidade de Indiana.
Elétricos: segmento depende da ajuda de Barack Obama
De acordo a pesquisa, sem a ajuda federal a indústria automotiva local ficará numa situação mais difícil do que a atual, o que implicará para os EUA a perda para a Ásia no tocante ao desenvolvimento de veículos elétricos.
Elétricos: segmento depende da ajuda de Barack Obama
Ainda conforme o estudo, liderado por Gurminder Bedi - que entre os anos de 1971 e 2001 ocupou a vice-presidência da operação de picapes da Ford e a presidência da Ford Brasil e Argentina -, será necessário redobrar os investimentos em tempo, energia e recursos do governo e da indústria automotiva para que a participação dos elétricos alcance 15% no período compreendido entre 2025 e 2030, caso o governo intervenha.
Elétricos: segmento depende da ajuda de Barack Obama
Para tanto, Bedi sugeriu a criação de um programa demonstrativo em 20 cidades para tornar os automóveis elétricos plug-in mais familiares. Dentre as recomendações estão mais incentivos aos compradores, pesquisa a longo prazo para redução no custo de baterias e aperfeiçoamento na capacidade de recarga doméstica. Duas grandes montadoras já fizeram suas apostas. A GM, que poderá produzir 45 mil Chevrolet Volt em 2012, e a japonesa Nissan, que planeja comercializar 25 mil Leaf nos Estados Unidos ainda neste ano. A Ford também já apresentou o Focus Elétrico, mas ainda não iniciou sua produção em massa. Por: Michelle Sá - Fonte: Automotive Business

Seja parte de algo grande

Elétricos: segmento depende da ajuda de Barack Obama

Foto de: Fábio Trindade