China deve exportar mais carros para mercados emergentes

Sem dúvida alguma, a China é um fenômeno. Primeiro, tirou dos Estados Unidos o posto de maior mercado automotivo. Segundo, tem tudo para se tornar um dos maiores exportadores de veículos do mundo. No ano passado, a indústria automobilística chinesa fabricou 18.264.700 veículos e comercializou 18.061.900 unidades - ultrapassando mercados tradicionais como EUA e Europa. Quanto às exportações, em 2010 foram enviadas para outros países 544.800 unidades, das quais 282.900 eram automóveis e 261.900 eram comerciais leves. Se comparados aos números apresentados por outras potências automotivas o volume chinês ainda é bastante modesto e fica abaixo da produção alemã, com 4,24 milhões de unidades ou 76,3% do total da produção, assim como da japonesa - com 4,37 milhões. Todavia, o panorama tem se mostrado favorável ao país asiático. Para se ter ideia, nos primeiros cinco meses deste ano foram exportados nada menos que 225.400 veículos para países como Índia, Brasil, África e Rússia; assim como para outros países da América Latina e do Sudeste da Ásia. No mês passado, a indústria chinesa exportou pouco mais de 72 mil unidades, o que assinala um aumento de 6,8% sobre abril e 53% em relação a maio de 2010. Aliás, 2011 já registra 57% de aumento sobre o ano passado. Dentre as montadoras chinesas, a Chery foi quem mais exportou. Entre os meses de janeiro e maio, mais de 55 mil unidades foram negociadas em outros mercados. Em seguida vieram Changan Auto (35.100), JAC (28.100) e Great Wall (26.800).
China deve exportar mais carros para mercados emergentes
Por: Michelle Sá / Fonte: Carsale

Seja parte de algo grande