Chanceler alemã pede clareza à GM sobre rumores de venda da Opel

A chanceler alemã, Angela Merkel, exigiu que a General Motors oferecesse explicações sobre os rumores de uma possível venda da Opel. Os boatos, que geraram insegurança entre os funcionários da subsidiária europeia, deixaram a primeira-ministra muito irritada pela falta de preocupação da GM em desmentir os fatos. Fontes da gigante norte-americana informaram à agencia Reuters que não havia nenhum processo formal para a venda da marca. Contudo, a companhia norte-americana tem mostrado descontentamento com a ausência de rentabilidade e com a incapacidade da Opel para modificar o panorama. A mídia alemã divulgou que entre os possíveis compradores estariam fabricantes de automóveis chineses e até mesmo a Volkswagen, que já anda às voltas com diversos negócios. O jornal alemão Die Welt chegou a afirmar que a empresa Beijing China Automotive Industry Holding Co (BAIC) havia mantido contato com a GM, que já possui uma joint venture chinesa com a SAIC Motor Corp China. Em 2009, após meses de negociação, a General Motors optou por não vender a Opel, mas por reestruturá-la. Naquele ano, Daniel Akerson foi um dos dois únicos executivos da montadora que se mostrou contrário ao repasse. Mesmo diante das dificuldades com a subsidiária, fato é que a sua venda a um grupo chinês criaria um rival global. De posse da tecnologia e das plataformas, o grupo asiático seria capaz de exportar modelos da Opel para mercados fora da Europa. Por: Michelle Sá / Fonte: Autonews

Seja parte de algo grande