"RG" eletrônico para veículos - Testes com chip começam em junho

Uma nova tecnologia de identificação de veículos começará a ser testada pelo Departamento Nacional de Trânsito a partir de junho deste ano. Trata-se de um chip eletrônico capaz de armazenar informações como nome do proprietário, número da placa, cor, modelo, número do chassi e código do Renavan. Cada veículo receberá um “RG” eletrônico o qual se comunicará somente com antenas habilitadas para o sistema. Assim como nos documentos pessoais, as placas eletrônicas instaladas em cada veículo serão únicas e não poderão ser transferidas quando, por exemplo, um motorista trocar de carro. Bem mais baratas do que o atual sistema de câmeras que decodifica a combinação de letras e números das placas dos automóveis, as antenas deverão ser instaladas em postes ou placas de sinalização.
"RG" eletrônico para veículos - Testes com chip começam em junho
Através de ondas de rádio, com frequência de curto alcance, as antenas identificarão os veículos que passarem a uma velocidade de até 160 km/h. Em apenas 10 milisegundos o sistema estará apto a ler a placa eletrônica do carro e transmitir, em tempo real, seus dados para as centrais de processamento dos Detrans onde serão analisadas. De posse das informações será possível ao Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos reconhecer veículos com IPVA em atraso e multas vencidas, além de contribuir para o controle e monitoramento de congestionamentos. No chip também haverá espaço para outros tipos de informação, caso venha a ser explorado pela iniciativa privada. Neste caso, postos de combustível, pedágios e estacionamentos, por exemplo, poderão utilizar o componente para controlar acessos e, mediante consentimento prévio do proprietário, realizar a cobrança via cartão de crédito. Por enquanto, o equipamento virá numa caixa preta e sua instalação será feita durante o licenciamento do veículo. Contudo, futuramente, ele virá na forma de adesivo e será colado no para-brisas do automóvel. Os custos provenientes da instalação do novo sistema, que será capaz de inibir furtos e roubos, provavelmente recairão nos bolsos dos cidadãos uma vez que isso é mais do que comum no Brasil. Além disso, após sua total implantação, o que deverá ocorrer até meados de 2014, os condutores que não possuírem a etiqueta eletrônica em seus veículos responderão por infração grave e estarão sujeitos a multas de R$ 127 reais, cinco pontos na carteira de habilitação e retenção do veículo. Por: Michelle Sá / Fonte: Olhar Digital

Seja parte de algo grande

"RG" eletrônico para veículos - Testes com chip começam em junho

Foto de: Thiago Parísio