Pouco seguros: Carros brasileiros não conseguem boa avaliação em teste do Latin NCAP

Foram divulgados hoje pelo Latin NCAP os resultados de sua segunda fase de testes de segurança em carros vendidos na América Latina. Após o vazamento das avaliações do Ford Ka e do Nissan March, agora foram revelados os desempenhos de outros seis veículos: Chevrolet Classic, Chevrolet Celta, Fiat Novo Uno, Nissan Tiida, Ford Focus e Chevrolet Cruze.
Pouco seguros: Carros brasileiros não conseguem boa avaliação em teste do Latin NCAP
Entre os avaliados - que recebem notas de 1 a 5 estrelas de acordo com um crash test parcial a 64 km/h - o sedã Classic foi o pior, alcançando apenas uma estrela tanto para ocupantes adultos quanto para crianças. Celta e Uno não se sairam muito melhores, com uma estrela para adultos e duas para crianças. Com um airbag, o Tiida alcançou três estrelas para adultos e apenas uma para crianças. Na opção com dois airbags, o mesmo modelo da Nissan subiu a avaliação para quatro estrelas para adultos, mas manteve apenas uma para crianças.
Pouco seguros: Carros brasileiros não conseguem boa avaliação em teste do Latin NCAP
Ford Focus e Cherolet Cruze foram os melhores na média, com quatro estrelas para adultos e três para crianças. Ambos possuem dois airbags. Resultado dos testes do Latin NCAP: Chevrolet Celta (sem airbag): 1 estrela adultos – 2 estrelas crianças Ford Ka Fly Viral (sem airbag): 1 estrela adultos – 3 estrelas crianças Chevrolet Classic (sem airbag): 1 estrela adultos – 1 estrela crianças Fiat Novo Uno (sem airbag): 1 estrelas adultos – 2 estrelas crianças Nissan March (2 airbags): 2 estrelas adultos – 1 estrela crianças Nissan Tiida (1 airbag): 3 estrelas adultos – 1 estrela crianças Nissan Tiida (2 airbags): 4 estrelas adultos – 1 estrela crianças Ford Focus II (2 airbags): 4 estrelas adultos – 3 estrelas crianças Chevrolet Cruze (2 airbags): 4 estrelas adultos – 3 estrelas crianças
Pouco seguros: Carros brasileiros não conseguem boa avaliação em teste do Latin NCAP
Na avaliação de David Ward, secretário geral do Global NCAP, os modelos oferecidos na América Latina estão 20 anos atrasados em relação aos europeus e norte-americanos em termos de tecnologia. A exigência de airbag e ABS a partir de 2014 significa um começo, porém, em contrapartida o controle eletrônico de estabilidade será obrigatório nos EUA e Europa a partir do ano que vem.
Pouco seguros: Carros brasileiros não conseguem boa avaliação em teste do Latin NCAP
Questionado sobre a diferença de resultados entre o Nissan March na Europa e na América Latina (lá, vendido como Micra, o compacto alcançou quatro estrelas), Ward aponta que "devem haver diferenças entre os veículos, tanto na qualidade do material quanto em detalhes de design", o que resultaria em seu pior desempenho aqui. Ward ainda esclarece que não há diferença na metodologia de testes do Latin NCAP em relação ao Euro NCAP. Porém, por aqui é realizada apenas uma avaliação (a colisão parcial a 64 km/h), escolhida por representar a maioria dos acidentes com fatalidades no mundo. A intenção da instituição é de ampliar os testes no futuro, mas isso dependerá de investimento e de colaboração das marcas, uma vez que os carros testados são cedidos por elas. Fonte: Renata Viana/Autoesporte

Seja parte de algo grande