Política instável do governo pode cancelar projetos de novas fábricas no Brasil

A medida protecionista que aumenta o IPI para carros importados em 30 pontos percentuais foi definida pelo governo como "proteção à longo prazo" para as fabricantes locais. Acertaram em cheio. Citando a "política instável do governo brasileiro", a Associação dos Passageiros de Carros da China considera que o país não oferece mais condições para investimentos de longo prazo, conforme reportagem publicada na Folha de São Paulo. Para a Associação, as montadoras chinesas devem se dar conta de que estão sob enorme risco de mudanças de política no mercado brasileiro, diz Cui Dongshu, vice-secretário-geral e economista sênior da CPCA. Em entrevista à Folha, Cui Dongshu disse que "há inúmeras formas de evitar uma disputa comercial. É completamente desnecessário jogar um ajuste abrupto que provoca estragos à confiança mútua". O mesmo pode acontecer em breve com outras marcas da europa, mais tradicionais, como a BMW. A marca alemã marcou para dezembro o anúncio sobre a decisão de instalar uma fábrica no Brasil. Até o momento a marca não divulgou nada a respeito, mas como também sofrerá o impacto do aumento em sua linha BMW e MINI, pode repensar o assunto. Quem agradece, além da ANFAVEA, é o México, provável destino das fabricantes. Fonte: Folha de São Paulo

Seja parte de algo grande