Avaliação: Vida urbana com o smart fortwo

Ágil, prático e rápido, o smartfortwo cativa motoristas e pedestres por onde passa Apresentado oficialmente ao consumidor brasileiro no Salão do Automóvel de 2008, o smart fortwo é mais do que um automóvel pequeno e prático para o caos urbano das grandes cidades. É verdadeiramente um estilo de vida. Não é qualquer pessoa que está disposto a pagar cerca de R$ 50 mil (sem aumento de IPI) em um automóvel sub-compacto que leva apenas duas pessoas. Isso na cotação sem o aumento de IPI, pois agora existe a expectativa de o preço do modelo subir cerca de 25%. Este detalhe faz do smart um veículo ainda mais exclusivo, pois foi feito para quem já tem um carro para levar a família para passear e quer outro bem menor, para usar sozinho e não ter dificuldade de encontrar um lugar para estacionar, um dos grandes problemas nos centros urbanos, inclusive em shoppings e supermercados, aos finais de semana. No shopping – Estacionado como moto, em uma vaga de shopping improvisada; mais fácil do que manobrar na longitudinal Por uma semana, a convite da Mercedes-Benz (sim, o smart é um produto da marca alemã da estrela de três pontas, fato que surpreendeu muita gente quando me perguntaram quem fabrica o modelo), testei a versão de entrada do sub-compacto, o smartfortow mhd (micro hybrid drive), de 71 cv, na configuração cupê. Além desta, há as versões grey slyle 71 cv mhd cupê (R$ 65.200) e cabrio (R$ 73.900), as passion 84 cv turbo cupê (R$ 61.200) e cabrio (R$ 69.600) e a Brabus 98 cv turbo cupê (R$ 92.900) e cabrio (R$ 99.900) – valores anteriores ao aumento do IPI para veículos importados. Estilo As rodas são de 15 polegadas, com pneus 155/60 na frente e 175/55 atrás Cada versão tem um detalhe que torna o smart mais exclusivo. As grey style são uma série limitada, em pintura cinza fosca na carroceria e rodas, com motor aspirado e sistema start&stop. A passion tem motor turbo, que rende 84 cv, e a Brabus é feita sob encomenda, com motor turbo mais apimentado, de 98 cv, um minifoguete, rodas de 17 polegadas entre outros detalhes. Mesmo na versão mais simples, o smart é cheio de estilo pelo fato de ser pequeno. As proporções compactas remetem a um brinquedo, e visto pelo retrovisor de um carro normal, a impressão é justamente esta, ainda mais se o motorista tiver mais de 1,80m. E, quanto maior o motorista, mais atenção chama. Com apenas 2.695mm de comprimento e entre eixos de 1.867mm, o smart é praticamente do tamanho das portas, e encara lombadas como rampa Tecnologia A versão avaliada é equipada com sistema start&stop, que em velocidades abaixo de 8 km/h desliga o motor, que permanece assim enquanto o pedal do freio estiver sendo pressionado. O sistema é eficiente e a partida do motor é rápida, mas em situações onde existe a necessidade de agilidade, como um trânsito provocado por outros veículos em que não há como prever o momento da saída, é aconselhável desligar o sistema, por meio do botão com a inscrição ECO, localizado próximo à alavanca do câmbio. Este é um diferencial.
Avaliação: Vida urbana com o smart fortwo
Tal como o carro, até o painel é compacto; só faltou conta giros, mas uma seta aparece no centro (onde há o indicador de marcha) para avisar a hora mais econômica de trocar a marcha Mas não é toda hora que o start&stop desliga o motor do smart. Quando o nível de carga da bateria está baixo, por conta de uma longa parada com faróis acesos e sistemas de som e ventilação ligados, o sistema espera até o nível de carga da bateria se reestabelecer para entrar em funcionamento novamente. Assim, neste período, mesmo que haja uma nova parada, o motor continua em funcionamento e uma luz com a inscrição ECO no painel ascende em amarelo. Quando a luz fica verde, o sistema está ativo novamente. Além disso, o smart é equipado com transmissão automatizada de cinco velocidades para frente + marcha-à-ré, freios com sistema antebloqueante (ABS) com controle de estabilidade (ESP), air bags duplo, direção com assistência elétrica, dispositivo de assistência de saída em aclives, ar-condicionado, vidros elétricos e indicador de temperatura externo. Conforto Mesmo pequeno, o smart é confortável, principalmente para o motorista. Porém, pessoas com mais de 1.80m podem se sentir um pouco apertadas dentro do carrinho, pela limitação do espaço disponível para afastar o banco do volante. A chave fica no console central, entre a alavanca de câmbio e o freio de mão; o pedal do freio obriga a levantar o pé para ser acionado; o volante de dois raios é diferente e cheio de classe; sistema de som não tem entrada de CD, mas USB, localizada dentro do porta-luvas; regulagem do retrovisor é feito manualmente A posição de dirigir é muito boa, porém poderia ser melhor se o pedal do freio fosse do tipo suspenso e não alavanca apoiada no piso. Esse sistema me lembrou as antigas Brasílias, pois o sistema é parecido. Da forma como foi projetado, a tendência é pisar no freio sem apoiar o pé no chão, o que acaba forçando a perna esquerda, causando desconforto. Outro item que chamou atenção foi o sistema manual de ajuste de regulagem dos retrovisores externos. Em um carro com este nível de preço e proposta, poderia ser elétrico, mesmo na versão de entrada.  A direção com assistência elétrica é bastante eficiente e progressiva, fica mais pesada com o aumento da velocidade. Por ser compacto e com a proposta de um automóvel de uso individual, quem sofre mais é o passageiro. O smart não tem estepe, mas sim um sistema para vedar furos e um pequeno compressor de ar, que é ligado na tomada 12V no console central, onde fica o isqueiro. Estes equipamentos e o macaco e chaves de rodas ficam acondicionados embaixo dos pés do passageiro, o que rouba um bom espaço para esticar as pernas. Assim, mesmo uma pessoa mediana, com 1,60m não consegue ficar 100% confortável, pois ao sentar e apoiar os pés no chão, a perna não fica apoiada no banco. Outro detalhe que chamou bastante atenção foi o cinto de segurança que não apresenta possibilidade de regulagem de altura e acaba pegando no pescoço de pessoas que têm o tronco menor. Assim, quando viajar com uma criança ao lado, é preciso ficar atento, pois pode machucar. Não parece, mas cabe 220l neste porta-malas; um detalhe chama atenção: uma tampa separa o motor do compartimento de carga Mesmo pequeno, o smart tem porta-malas, com capacidade de 220 litros que pode chegar a 340 litros com o banco do passageiro rebatido. Nada mal para um carro com apenas 2.695mm de comprimento, 1.559mm de largura, e 1.542mm de altura. Diversão O melhor do smart é a condução. Leve, pesa apenas 750 kg, com motor três-cilindros de 1.0 litro, que rende 71 cv de potência a 5.800 rpm e torque máximo de 92 Nm a 4.500 rpm, acelera bem e arranca com bastante desenvoltura, mesmo com o motor desligado por causa do start&stop. Não chega a ser sensacional como as versões turbo, com 84 cv ou o 98 cv, mas é bem divertido, pois chega com facilidade à velocidade máxima de 145 km/h (limitada eletronicamente nas versões de 71 cv e 84 cv). A esta velocidade, o smart fica bem sensível à força do vento, mas com ajuda da eletrônica é possível conduzir o carro com segurança, mas é preciso precaução. Calçado com rodas de aro 15 polegadas, o smart avaliado vem com pneus 155/60 na dianteira e 175/55 na traseira. Por ser compacto, tem suspensão com curso curto, o que não é compatível com as nossas ruas, principalmente nas regiões mais periféricas onde o asfalto mais parece uma piscina de ondas. Mas, aqui cabe uma reflexão: é o carro que não é compatível com as nossas ruas ou as nossas ruas que deveriam ser melhores? Eu voto na segunda opção, seja qual for o modelo de carro que estiver dirigindo. Mas, voltando para a suspensão do smart, ela é bem rígida e é assim de propósito para que o carrinho tenha bom desempenho. Muita vezes pensei estar dentro de um kart, pois as respostas são imediatas, tanto de aceleração quanto de estabilidade em curvas, e como é pequeno, cabe em qualquer pedaço de rua entre um carro e outro. E como é pequeno, os outros motoristas não se incomodam de dar espaço para o smart entrar, algo raro nos dias de hoje. No caos das grandes cidades, é possível se valer deste benefício e ganhar agilidade no trânsito, pois o smart tem atributos para chegar mais rápido do que um SUV de 500 cv, e o melhor: com consumo médio de 16 km/l, que pode chegar a mais de 22 km/l, dependendo da forma de condução. Isso sim é life style. Texto e Fotos: Alexandre Akashi

Seja parte de algo grande