Fábrica brasileira da Kia pode finalmente sair do papel

O aumento da alíquota de IPI para carros importados fora do eixo Mercosul-México e o desfecho do impasse comercial envolvendo a antiga Ásia Motors e o governo brasileiro após o STF ter isentado a Kia Motors de uma dívida de aproximadamente R$ 1 bilhão parecem ter trazido à tona a possibilidade da construção de uma fábrica da marca sul-coreana no país. Em entrevista à jornalista Ana Paula Machado, publicada hoje (12/01) no jornal Brasil Econômico, o presidente da Kia Motors do Brasil, José Luiz Gandini, afirmou que já existe demanda suficiente para que a marca se decida pela implantação de uma unidade produtiva. “O que estava travando era a questão da Ásia Motors”, afirmou o executivo. Após emplacar o recorde de mais de 9 mil unidades em outubro a Kia viu as vendas despencarem para menos de 5 mil unidades mensais em novembro e dezembro, fruto da redução de estoques e das novas alíquotas de IPI para modelos importados. "Tenho negociado com a Kia descontos em alguns modelos para não perdermos mercado. Temos que perder em margem para que os preços não sejam aumentados no mesmo patamar que nossos custos", disse o presidente. A expectativa, no entanto, é de os estoques das concessionárias sejam normalizados a partir de fevereiro, quando mais de sete mil carros devem chegar da Coreia do Sul. A marca promete ainda o lançamento do Sportage flex e do sedã Optima até o final de março. A encomenda dos produtos à matriz, segundo Gandini, já foi feita.
Fábrica brasileira da Kia pode finalmente sair do papel
Por Thiago Parísio / Fonte: Brasil Econômico (por Ana Paula Machado)

Seja parte de algo grande

Fábrica brasileira da Kia pode finalmente sair do papel

Foto de: Thiago Parísio