BRASIL, resultados de abril: Emplacamentos caem mais de 10% em abril e números acumulados já são inferiores aos de 2011

Os números de emplacamentos em abril, divulgados na tarde de hoje (03/05) pela Fenabrave (Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos Automotores), não foram dos mais animadores. As 244.853 unidades registradas – das quais 188.723 automóveis e 56.130 comerciais leves – representaram uma queda de 10,27% na comparação com o mesmo período de 2011. Em relação a março, quando 284.121 unidades foram emplacadas, a redução foi ainda maior (-13,82%). O total de emplacamentos acumulado entre janeiro e abril, de 1.017.506 unidades, é 3,14% menor do que no mesmo período de 2011 (1.050.502). A previsão da Fenabrave é de que o mercado absorva quase 3,6 milhões de unidades até o final do ano. O aumento da inadimplência foi um dos motivos apontados para a queda nas vendas é destacado por Tereza Fernandez, sócia da MB Associados. “A inadimplência no setor de automóveis mais do que dobrou no fim do ano e, assim, os bancos seguraram o crédito”, afirmou a economista. Outro motivo que pode explicar a redução é o aumento do nível de exigência do consumidor. "O consumidor quer um veículo com maior motorização e com preços que caibam em seu orçamento. Os fabricantes de outros países trazem esses veículos com preços competitivos". Para a consultora as indústrias brasileiras não acompanharam o ritmo deste consumo, o que provocou maior demanda e menos produtos disponíveis notadamente após o aumento da alíquota de IPI para os importados. Apesar dos resultados negativos o presidente da Fenabrave, Flávio Meneghetti, mantêm o otimismo. "Acreditando que a inadimplência comece a ceder no segundo semestre, esperamos que o cenário esteja melhor e que o setor recupere o ritmo", disse Meneghetti. Por Thiago Parísio / Fonte: Fenabrave

Seja parte de algo grande