Montadoras japonesas devem diminuir produção na China

As vendas de automóveis japoneses, no mercado chinês, têm sido prejudicadas pela disputa territorial travada entre os dois países. Em setembro a Toyota amargou uma queda de 40% na comparação com o mesmo período de 2011, enquanto a retração da Mazda foi de 35%. A confusão começou logo após a nacionalização, pelo Japão, de ilhas do mar da China ricas em hidrocarbonetos e de grande valor estratégico. Chamadas de Senkaku pelos japoneses e de Diaoyu pelos chineses, as cinco ilhas que formam o arquipélago também são reivindicadas por Taiwan. Diante das manifestações antijaponesas, promovidas em diversas localidades chinesas, Nissan, Toyota e Honda se viram obrigadas a alterar turnos e a diminuir seus ritmos de produção.
Montadoras japonesas devem diminuir produção na China
Inicialmente, Honda e Toyota reduzirão a jornada de trabalho e a velocidade de fabricação em quase 50%. A Nissan, por outro lado, decidiu que as duas unidades de veículos leves instaladas no território chinês não funcionarão no turno da noite. O conflito, no entanto, tem sido “positivo” para os concorrentes das marcas nipônicas, sobretudo para as montadoras sul-coreanas e alemãs. As vendas da BMW no país saltaram 55% no mês passado, enquanto Audi e Mercedes-Benz registraram alta de 20% e 10%, respectivamente. Por Michelle Sá / Fonte: G1

Seja parte de algo grande