Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv

Para ser aceito como o Pace Car de uma corrida da Fórmula Indy, a organização da corrida exige um carro com potência mínima de 200 cavalos, função que foi cumprida pelo Civic SI no ano passado. Para cumprir a exigência, a Honda levou para o circuito de rua do Anhembi duas unidades "nacionais" equipadas com o motor original 1.8 16V de 140 cv de potência, que preparadas, passaram a entregar 270 cv. A convite da marca, testamos essa versão muito mais agressiva do atual líder de vendas.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
O trabalho de preparação feito no motor merece elogios. A responsável pela preparação foi a Way Motorsport, que conseguiu extrair quase o dobro de potência utilizando um turbocompressor com apenas 350g de pressão, e o mais interessante: o motor não foi alterado. Segundo o engenheiro Márcio Mastroianni, os dois motores estão lacrados e permanecem originais, por exigência da Honda.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
O resultado da preparação foi a elevação da potência para 270 cavalos de potência motor (232 cv na roda) e torque de 34 kgfm. Além do motor, as duas unidades do Civic Pace Car também receberam ajustes na suspensão, na dianteira com novos amortecedores e barras estabilizadoras do Civic SI e um novo jogo de molas, que deixou o modelo 40mm mais baixo que o normal, com trabalho realizado pela Suspentécnica. Os freios também foram redimensionados para conter a potência, além da utilização das rodas de 17 polegadas.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
No visual, o Novo Civic recebeu os acessórios originais da Honda, os mesmos oferecidos nas concessionárias, como o spoiler dianteiro, as sais laterais e o aerofólio traseiro. Recebeu também o característico envelopamento promocional nas cores branco e vermelho, além do giroflex no teto e estrobos nos faróis dianteiros e lanterna traseira.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Na parte interna, a Indy exige bancos esportivos do tipo concha e cinto de segurança de cinco pontos para os ocupantes dianteiros. No entanto, as duas unidades do Civic Pace Car também receberam os cintos no banco traseiro, o que elevou a capacidade para quatro pessoas.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Na pista Antes de pilotar o Pace Car, a Honda sugeriu uma volta na versão civilizada do Civic, manual na configuração LXS. Mesmo com uma fina garoa, o carro se comportou bem nas travadas curvas no Autódromo da Fazenda Capuava. As acelerações, para um carro comum, podem ser consideradas como satisfatórias e condizente com o modelo. Destaque para a direção leve e precisa, assim como o câmbio manual de engates curtos e ágeis. Na principal reta da pista, a velocidade final beirava os 120 km/h.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Voltando aos boxes, hora do Civic Pace Car. Como todo carro de competição, os bancos esportivos no formato concha atrapalham bastante a entrada, mas esse inconveniente é um mero detalhe para o que viria a seguir.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Depois de assentado e com os cintos de cinco pontos fixados, nenhuma novidade. O console é o mesmo da versão normal, assim como os pedais, manopla de câmbio, volante e quadro de instrumentos. Porém, ao girar a chave e dar a partida no motor, o sorriso já invade o rosto como reflexo imediato do belo ronco do propulsor.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Logo ao tirar o Pace Car da imobilidade já nota-se o apetite mais vigoroso do acelerador. No pequeno trecho entre a saída dos boxes até a primeira curva, onde normalmente se atinge 70 km/h, o Civic "Turbo" já beirava os 100 km/h.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
As pequenas esticadas entre as curvas exigiam cuidado pela pista molhada, mas mesmo assim, o carro se comportava de modo exemplar, parte graças à sua suspensão traseira MultiLink. O Civic Turbo responde prontamente ao cutucar o acelerador, já mostrando boa disposição mesmo em rotações médias graças à atuação do turbo, o qual opera numa ampla faixa de rotação. Ao atingir 3.700 rpm já se tem disponível quase o dobro de torque do Civic regular, ou seja, 32 kgfm de força. Basta pisar fundo e o giro sobe rapidamente junto com o ronco do motor ao mesmo tempo em que a pista vai ficando cada vez mais curta.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
Na reta, o Civic Turbo atinge rapidamente os 150 km/h, mas bem antes do momento ideal de frenagem é necessário aliviar o pé, infelizmente, por conta do mau tempo. Em uma pista mais extensa, como a de Interlagos, a barreira dos 200 km/h seria superada fácil e rapidamente. Na segunda volta, momento de forçar um pouco mais nas curvas fazendo-o esparramar por todo o traçado e aproveitando mais o ótimo comportamento dinâmico.
Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv
No fim do teste, triste é desligar o carro, encerrando o belo ronco do motor e também a brincadeira. Nos boxes, alguns jornalistas brincavam que exatamente este carro poderia ser o Novo Civic SI brasileiro, mas isto deve ficar somente na brincadeira mesmo, pois a marca não tem planos para uma versão esportiva do modelo por aqui. Pelo menos por enquanto.

Seja parte de algo grande

Teste Rápido: Uma volta no Honda Civic Indy Pace Car de 270 cv

Foto de: Fábio Trindade