Vendas de combustíveis devem fechar ano com crescimento superior a 6%

O Sindicato Nacional das Distribuidoras de Combustíveis e Lubrificantes (Sindicom) revelou que as vendas de combustíveis no Brasil devem encerrar o ano com um aumento de 6,3%, em relação a 2011. Até o fim de 2012, 118 bilhões de litros serão consumidos no país. Responsável por quase metade de todo o consumo nacional - 47,1% do mercado -, o óleo diesel pode encerrar 2012 com uma alta de 6,8% graças à sua procura nas regiões Centro-Oeste (11%), Nordeste (10%) e Norte (10%). A gasolina, que responde por 33,6% do mercado, terá um desempenho superior (12,2%) por conta da região Nordeste. De acordo com as projeções, o percentual esperado é de 17%. Já para o Centro-Oeste e Norte a procura deve atingir os 15%.
Vendas de combustíveis devem fechar ano com crescimento superior a 6%
Escolha de 8,2% dos consumidores, o etanol hidratado – juntamente com o óleo combustível (7%) e o gás natural veicular (2,5%) – deverá apresentar uma redução de 10,4% no consumo por causa do preço pouco competitivo. No período compreendido entre janeiro e novembro, sua compra – quando corresponde a até 70% do valor da gasolina – foi mais vantajosa apenas em São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Paraná. Nesses estados a competitividade durou nove, oito, sete e um mês, respectivamente. O destaque ficará por conta do querosene de aviação. Com 6,3% de participação no mercado, o produto será o de maior crescimento (36%) entre os demais combustíveis vendidos no país. De acordo com o levantamento feito pelo Sindicom, os lubrificantes crescerão 1,9%. Destaque para os automotivos (3%) e para as graxas e óleos básicos (1,7%). Caminho inverso farão os lubrificantes industriais, cuja queda esperada é de 1,2%. O estudo também revelou que entre tais fontes a gasolina é quem tem a maior carga tributária: 34,3%. Em seguida vem o diesel, com 20,6%. E, enquanto no restante do país o imposto sobre o etanol é de 27,8%, em São Paulo ele não passa de 19,1%. Por Michelle Sá / Fonte: Automotive Business

Seja parte de algo grande