Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito

Tem dia que você acorda em marcha lenta. Anda mais devagar, não tem pressa e seu estado de espírito é o de um senhor de 80 anos. Para dias assim, o BMW 118i é uma boa opção. Por outro lado, existem dias em que você acorda acelerado, eletrizado, querendo arrepiar e pegar uma bela estrada. Para estes dias, o BMW 118i também é uma boa opção. Não entendeu como um carro de pegada esportiva pode atender aos dois tipos de personalidade? Então confira o nosso teste e descubra as múltiplas facetas desse hatch. Tudo começou ao retirar o 118i da sede da BMW em São Paulo para nosso teste. O novo visual não perdeu o padrão BMW nem o jeitão do Série 1 anterior, mas o deixou com aspecto mais moderno. Os novos conjuntos ópticos e o desenho da parte dianteira ficaram mais agressivos. A traseira também recebeu mudanças, com destaque para o novo formato das lanternas.
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
Ligo o carro e tomo o rumo da redação. Neste momento, estou num estado de espírito "normal" e por isso deixo o estilo de condução nesta opção. Mas na cidade de São Paulo não é você quem manda no fluxo, e logo encontro o famoso trânsito da Marginal Pinheiros. Parei e tive a sensação de que o carro morreu. O trânsito andou e vi que estava equivocado. Parei novamente e, sim, o carro desligou. Eu tinha esquecido que o 118i é equipado com o sistema Stop-Start, que otimiza o consumo de combustível. Confesso que nestes primeiros instantes achei bem desagradável o fato de sentir o motor "morrendo". Bem, o motor liga de novo exatamente no tempo entre tirar o pé do freio e encostar no acelerador. Para quem não faz punta-taco, é imperceptível. Se a possibilidade de economizar combustível não for a sua praia, você pode desligar o recurso. Se quer economizar, coloque no modo "Eco-Pro" e siga viagem. O conjunto mecânico do 118i é a última palavra da tecnologia em termos de desempenho e economia: motor 1.6 turbo com injeção direta e sistema eletrônico Valvetronic, que controla a abertura variável das válvulas. O propulsor, posicionado longitudinalmente, é associado à também moderna transmissão automática Steptronic de oito marchas. Sim, oito marchas! Esta transmissão também possibilita trocas manuais na própria alavanca. Para completar, o modelo dispõe de tração traseira. Aliás, é o único hatch do mundo com essa configuração.
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
São 170 cv de potência, número que pode até não encher os olhos dos mais adeptos à esportividade. Mas não reclame ainda, pois o torque de 25,5 kgfm entre 1.500 e 4.500 rpm garante respostas sempre espertas ao comando do acelerador. Dias agitados, trânsito parado Por sorte, nossa avaliação aconteceu num feriado prolongado. BMW 118i na garagem e feriado é a desculpa perfeita para uma viagem até Paraty (RJ). Eu estava num daqueles dias mais agitados. Uma leve esticada até 120 km/h deixa clara a disposição do motor, empurrando forte e rápido. Para fazer uma ultrapassagem é excelente, transmitindo muita segurança. Mas a agitação logo para. Trânsito à frente, reflexo do famoso "excesso de veículos". O humor só não foi para o espaço porque estava num BMW e, assim, a inteligência dos sistemas me fez ver o lado positivo. Já que não vou conseguir andar mesmo, deixo o sistema start-stop acionado e mudo para o modo Eco-Pro. É justamente nesta situação que você se pergunta: caramba, tão simples, porque não existe isso em todos os carros? O trânsito começa a andar novamente, mas naquele "esquemão" comboio. Como a velocidade ficava entre os 60 km/h e 80 km/h, mantive o modo Eco e "aproveitei" para economizar combustível, apurando impressionantes 20 km/litro durante longo período. Esse negócio começava a me conquistar.
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
Ao entrar na Rodovia dos Tamoios, em especial nos trechos de serra, o comportamento dinâmico do Série 1 também me encanta. Tração traseira + peso distribuído em exatos 50% sobre cada eixo + controle de tração e estabilidade = carro grudado no chão. Fazer aquelas curvas fechadas, além de confortável, também foi divertido. Na sequência, a Rio-Santos oferece tráfego livre com generosas retas, contornadas por curvas interessantes. Nem é preciso dizer que o 118i deu risada delas. Viagem tranquila, destino alcançado. Cidade histórica, Paraty possui ruas pavimentadas com grandes pedras, o que tornaria um inferno a vida de qualquer carro importado ajustado para a Europa. Pois o acerto da suspensão do BMW 118i parece perfeito para esse ambiente, filtrando de forma exemplar as imperfeições, oferecendo conforto aos ocupantes e, acima de tudo, segurando bem o carro nas curvas. Sinto como se a suspensão do Série 1 fosse feita para o Brasil, mesmo com as rodas aro 17 (pneus 205/50). Mais um ponto positivo do modelo.
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
A terceira "cara" do BMW 118i é a esportiva. Para deixá-lo arisco, basta acionar a tecla Sport, a qual ainda possui a função "plus" com desativação dos controles de tração e estabilidade. Nas saídas fortes, os pneus destracionam, mas a traseira não chega a "rabear" como nos BMWs mais potentes. Os 100 km/h surgem em apenas 7,3 s, uma marca ainda mais expressiva quando lembramos que os antigos 118i aspirados (com motor 2.0 de 136 cv) levavam mais de 10,0 s para cumprir a mesma prova. A tração traseira garante um tempero especial, mas você só vai conseguir saboreá-la de verdade se desativar a eletrônica - o que requer habilidade e local adequado. Com os controles ligados, o Série 1 tem comportamento mais neutro, com saídas de frente no limite, como os carros de tração dianteira - mais fáceis de ser corrigidas. Uma falta sentida para dirigir esportivamente é das borboletas na direção, ainda que a transmissão de oito marchas pareça "ler" sua mente ao escolher a marcha adequada para cada situação. Conclusão O modelo de entrada da marca no Brasil deixa bem claro seu posicionamento: oferece um conjunto mecânico excelente, visual moderno e status. Mas o nível de "mimos" a bordo é limitado. Os bancos, por exemplo, têm formato esportivo e são condizentes com a proposta do carro, com bons apoios laterais e até um prolongador do assento, mas seu revestimento é de tecido. Também há uma bela tela colorida no painel com comandos pelo console (que depois de se acostumar fica bem prático), porém, falta o GPS. Belo chaveiro e destravamento remoto dos portas, mas não possui "keyless entry". Sim, pode ser até besteira, mas estamos falando de um carro de mais de R$ 100 mil. Este foi o ponto de equilíbrio encontrado pela BMW para equacionar o peso dos impostos (super IPI) com um preço razoável pela "marca".
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
Ao entrar no 118i nota-se certa simplicidade, apesar do bom acabamento. O Série 1 básico vem com o ar-condicionado analógico, vidros e travas elétricas, direção com assistência elétrica progressiva, rádio/CD/MP3/Aux com tela de 5,5 polegadas e bancos com ajuste de altura. A versão Sport avaliada custa R$ 114.950, valor que nos deixa sentindo falta de itens como bancos de couro, GPS, teto solar e os faróis de xenônio com os "angel eyes" típicos da BMW. A versão 118i Full chega a salgados R$ 134.950 ao agregar ar condicionado automático, ajustes elétricos dos bancos e sensor de estacionamento. Se faltam equipamentos, pesa a favor o excelente conjunto mecânico, a tecnologia embarcada, o prazer de condução refinado aliado ao conforto oferecido. O consumo também impressiona. Na cidade, é possível alcançar a marca de 11 km/litro facilmente, dependendo do pé do motorista. Na estrada, como citado, é possível chegar até a 20 km/litro com um modo de condução mais econômico. Andando normal, já passa dos 15 km/l sem dificuldade. No fim, o que define o 118i Sport é mesmo sua múltipla personalidade. Quer acelerar forte? Quer andar normal? Quer economizar combustível? Com esse BMW você terá sempre estas opções ao entrar no carro pela manhã.
Teste: BMW 118i Sport 2013 - Equilíbrio perfeito
Por Fábio Trindade Fotos Rafael Munhoz exclusivo para o CARPLACE – Portfólio Flickr Agradecimento: Kartódromo Granja Viana Ficha técnica – BMW 118i Motor: dianteiro, longitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.598 cm3, turbo e intercooler, injeção direta, gasolina; Potência: 170 cv a 4.800 rpm; Torque: 25,5 kgfm a 1.500 rpm - 4.500 rpm; Transmissão: câmbio automático de oito marchas, tração traseira; Direção: elétrica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e multibraços na traseira; Freios: discos nas quatro rodas, dianteiros ventilados, com ABS; Peso: 1.390 kg; Capacidades: porta-malas 360 litros, tanque 52 litros; Dimensões: comprimento 4.320 mm, largura 1.765 mm, altura 1.420 mm, entreeixos 2.690 mm Medições CARPLACE – valores entre parênteses se referem ao teste com ar-condicionado ligado Aceleração 0 a 60 km/h: 3,3 s (3,4 s) 0 a 80 km/h: 5,1 s (5,2 s) 0 a 100 km/h: 7,3 s (7,4 s) Retomada 40 a 100 km/h em Drive: 6,6 s (6,9 s) 80 a 120 km/h em Drive: 5,5 s (5,9 s) Frenagem 100 km/h a 0: 39,8 m 80 km/h a 0: 24,2 m 60 km/h a 0: 13,4 m Consumo Ciclo cidade: 11,0 km/l Ciclo estrada: 15,5 km/l Números do fabricante Aceleração 0 a 100 km/h: 7,5 s Consumo cidade: N/D Consumo estrada: N/D Velocidade máxima: 222 km/h Galeria de Fotos: BMW 118i Sport 2013

Seja parte de algo grande