Volvo desenvolve Kers e pensa em compacto elétrico ou híbrido

Logo após encerrar os testes de uma nova tecnologia que aprimora o sistema Kers (Kinetic Energy Recovery System, ou Sistema de Recuperação de Energia Cinética), que reutiliza a energia gerada em frenagens e permite redução de até 25% no consumo, a Volvo afirmou estar disposta a fabricar um compacto híbrido ou elétrico, mas não sozinha. A ideia é ter uma parceira para tal. A Volvo e sua proprietária Geely estão trabalhando em sua nova arquitetura que servirá para a próxima geração de seus modelos. Em 2015, será lançada a Scalable Platform Architecture (SPA) que servirá do próximo S60 até a top XC90. Porém, essa plataforma não é adequada ao novo compacto que a fábrica pensa em produzir. "Nós não temos planos concretos no momento, mas todos nós sabemos que a participação do segmento B está em crescimento constante e empurrando para baixo as emissões", disse Lex Kerssemakers, vice-presidente da marca sueca. "Mesmo assim, se fizéssemos isso, precisaríamos de um parceiro de plataforma e uma garantia de um trem-de-força elétrico ou híbrido". Novas tecnologias A Volvo completou uma bateria de testes de uma nova tecnologia de recuperação de energia cinética e os resultados confirmaram que esta é uma solução leve, barata e muito eficiente. Utilizada em um motor de quatro cilindros, ela fez com que o desempenho fosse similar ao de um propulsor de seis cilindros turbinado, porém  com redução de até 25% no consumo. O desempenho similar foi proveniente de um ganho de 80 cv de potência graças ao sistema. O Kers está montado no eixo traseiro.
Volvo desenvolve Kers e pensa em compacto elétrico ou híbrido
Durante a frenagem, o motor a combustão é desligado e o volante motor do Kers gira a 60.000 rpm. Quando o carro começa a se mover novamente, a energia acumulada é transferida para as rodas traseiras através de uma transmissão especialmente concebida para isto. A energia do Kers pode ser usada para acelerar o veículo ou manter velocidades constantes. O carro de testes, um Volvo S60, acelerou de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos (1,1 segundo a menos que o equipado com o 3.0 T6). O volante que a Volvo utilizou no sistema de Kers experimental é feito de fibra de carbono. Pesa cerca de seis quilos e que tem diâmetro de 20 cm. A roda de fibra de carbono gira em um vácuo para minimizar as perdas por atrito. "Nós somos o primeiro fabricante que aplicou essa tecnologia do Kers para o eixo traseiro de um carro equipado com um motor de tração dianteira. O próximo passo após a conclusão destes testes bem sucedidos é para avaliar como a tecnologia pode ser implementada em nossos futuros automóveis", conclui Derek Crabb, vice-presidente de engenharia de trem-de-força da Volvo.

Seja parte de algo grande