Ford confirma fim da produção na Austrália em 2016

A longa história da Ford na Austrália pode ter um capítulo nada agradável em 2016. A companhia norte-americana, que fabrica carros na ilha dos cangurus desde 1925, deve encerrar fechar as fábricas de Broadmeadows e de Geelong e, consequentemente, colocar um ponto final na história dos modelos Falcon e Territory. As informações são do site Autoblog, baseadas em reportagens veiculadas pela imprensa australiana. Previsões apontam que 650 trabalhadores de Broadmeadows sejam demitidos. Já na planta de Geelong, responsável pela fabricação de motores, as análises apontam para 510 demissões. Ao todo, a Ford tem três mil empregados no país, sendo que desses cerca de mil serão mantidos nos setores de pesquisa e de desenvolvimento de produtos. De acordo com o CEO da Ford Australia, Bob Graziano, o principal problema da operação australiana é o seu custo, o dobro da Europa e o triplo da Ásia, o que inviabiliza qualquer tentativa de continuar fazendo negócios no país. Soma-se isso às quedas nas vendas e o cenário é inviável no país: a Ford perdeu US$ 126  milhões (R$ 257 milhões) no último ano, sendo que o prejuízo acumulado nos últimos cinco anos chegou a US$ 580 milhões (R$ 1,18 bilhão). Ao encerrar a produção na Austrália, a Ford deverá atuar como importadora somente, com o Falcon sendo substituído por um sedã baseado em uma plataforma global e o Territory dando espaço a algum SUV do portifólio da marca. A ideia é também oferecer outros produtos e expandir a atuação, já que a Ford é a menor das fabricantes australianas.

Seja parte de algo grande