Contato: Fiat 500L seria boa pedida, mas não virá - Brasil terá o 500X

Na Europa o Idea é da coleção passada. Em seu lugar a Fiat já vende o 500L, uma minivan com ótimas soluções de espaço e um visual que pega emprestado parte do charme retrô do Cinquecento. Duas unidades do monovolume fazem parte da "frota" que estamos dirigido na visita ao centro de testes de inverno da Fiat em Arjeplog, no norte da Suécia. Aproveitamos, então, para dar uma voltinha no modelo. Pelo porte e design, a tendência é logo associar o 500L ao Mini Countryman. Mas basta entrar no Fiat para perceber que a proposta dele é bem mais familiar. Com 4,14 m de comprimento e 2,61 m de entreeixos, o 500L chama a atenção pela cabine espaçosa e pela ampla área envidraçada. O para-bisa é triplo, com colunas dianteiras bem finas (como no rival Citroën C3 Picasso). Fora isso, a versão que dirigimos tinha teto panorâmico, todo de vidro. O resultado é um carro com ótima visibilidade e bem iluminado internamente.
Contato: Fiat 500L seria boa pedida, mas não virá - Brasil terá o 500X
A posição de dirigir é alta, típica de minivans, mas a alavanca de câmbio também elevada deixa a condução muito mais confortável que no Idea. O interior tem jeitão de Fiat, do desenho do volante ao acabamento bem cuidado, passando pelos comandos bem localizados. Os bancos confortáveis e a suspensão macia também contribuem para a sensação de aconchego a bordo. O espaço no banco de trás é bem superior ao do antecessor, especialmente em largura. E o porta-malas tem capacidade para 343 litros.
Contato: Fiat 500L seria boa pedida, mas não virá - Brasil terá o 500X
Andamos na versão com motor 1.4 16V de 100 cv e câmbio manual de seis marchas. Ainda que o 500L pareça um pouco grande para esse propulsor, as respostas são agradáveis numa condução sem pressa - fica a dúvida de como seria o comportamento com a família toda e o porta-malas cheio. A direção é bem levinha - o modo City a deixa ainda mais suave para manobras em baixa velocidade - e o câmbio tem engates fáceis e precisos. No fim do passeio, desci do carro achando que a Fiat está perdendo uma ótima oportunidade de vendê-lo no Brasil. Mas a questão não é tão simples assim.
Contato: Fiat 500L seria boa pedida, mas não virá - Brasil terá o 500X
De acordo com fontes ligadas à gente de Betim (MG), o 500L tem, sim, simpatizantes dentro da fábrica. Mas o fato é que o cobertor está curto, e a filial brasileira teve de optar entre fazer o 500L ou o 500X, futura variante crossover do 500, que virá concorrer com o Ford EcoSport. Diante desse impasse, e sabendo da preferência do nosso mercado pelos chamados "jipinhos urbanos", o Brasil ficou com o 500X, que deve chegar em 2014. Por isso, a menos que os planos mudem, o 500L não passará de uma boa ideia distante de nós. Texto e fotos Daniel Messeder, de Arjeplog, Suécia Viagem a convite da Fiat

Seja parte de algo grande