Direto de Genebra: Captur é destaque da Renault, mas deve ficar longe do Brasil

A versão de produção do conceito Captur está sendo um dos principais destaques da Renault no Salão de Genebra. Feito sob medida para encarar Opel Mokka, Ford EcoSport e Peugeot 2008 no mercado europeu, o modelo é baseado na plataforma da quarta geração do hatchback Clio e deve ficar longe das concessionárias da marca no Brasil.
Direto de Genebra: Captur é destaque da Renault, mas deve ficar longe do Brasil
Nas palavras da Renault, as linhas do Captur refletem dinâmica, ousadia e personalidade. Entre outros detalhes, chama atenção o teto pintado em um tom distinto da carroceria ao estilo Mini Cooper e Fiat 500L, por exemplo. Compacto, o crossover mede apenas 4,12 metros, mas a marca garante ótimo aproveitamento do espaço interno.
Direto de Genebra: Captur é destaque da Renault, mas deve ficar longe do Brasil
O Captur começará em breve a ser fabricado na Espanha, mais exatamente na planta de Valladolid. A produção do modelo no Brasil é pouco provável, visto que a Renault não tem planos de trazer a base do novo Clio para a fábrica de São José dos Pinhais e o Duster já cumpre a função de representar a marca na categoria. Importá-lo seria uma saída, mas em tempos de super IPI isso não parece muito sensato.
Direto de Genebra: Captur é destaque da Renault, mas deve ficar longe do Brasil
Além da plataforma o Captur compartilha com o Clio boa parte de seus motores, incluindo um 0.9 TCe de 90 cavalos e 13,7 kgfm de torque e um 1.2 TCe de 120 cavalos e 19,3 kgfm de força.  

Seja parte de algo grande