Peugeot pode entregar o controle do grupo PSA a General Motors

De acordo com a agência Reuters, a família Peugeot, fundadora da PSA Peugeot-Citroën, poderia recuar um pouco para deixar a General Motors assumir o negócio que vai está mal financeiramente. Fontes ligadas à marca já avisaram que a PSA poderia chegar perto de não ter capital para tocar o negócio até o fim deste ano. Conforme o relatório da agência, se a GM fosse mesmo assumir o controle do grupo PSA, ela gostaria de fechar fábricas e reduzir funcionários na França e na Alemanha, algo que o governo francês não deixaria a família Peugeot fazer na sua própria casa. A Peugeot, por outro lado, relatou ter buscado financiamento para manter o negócio, mas a falta de interessados em emprestar o dinheiro obrigou o grupo a voltar-se para a GM, que detém 7% do negócio atual. A mudança foi feita com o apoio do atual presidente-executivo da PSA, Phiippe Varin, de acordo com a Reuters.
Peugeot pode entregar o controle do grupo PSA a General Motors
No geral, a família Peugeot detém uma participação de 25,4%, mas controla 38,1% dos direitos de voto. "PSA terá que apresentar um novo plano industrial para subscrever um aumento de capital, e a única esperança é a GM. Eles (GM) estão prontos para injetar mais dinheiro se puderem controlar o negócio, integrar a Peugeot e a Opel e racionalizar a produção". A Peugeot, que é fortemente dependente das vendas em sua terra natal, agora está lutando pela sobrevivência. A GM comprou 7% da PSA em fevereiro de 2012. Desde então, o governo francês entrou em cena com uma ajuda financeira para o próprio banco Peugeot, garantindo que ainda pode oferecer financiamento competitivo para novos compradores de automóveis. Agora, tudo depende da GM. Fontes dizem que os chefes da GM precisam de garantias de que eles seriam capazes de enxugar as fábricas e os empregos "a um custo razoável". De qualquer forma, nem a Peugeot e nem a GM se pronunciaram sobre essa história. Fonte: Autocar

Seja parte de algo grande