Contraste: PSA abre fábrica na China e demite funcionários na Europa

Enfrentando uma situação financeira não muito agradável, o grupo PSA Peugeot Citroën vive momentos completamente contrastantes na Europa e na China. Só nesta semana, por exemplo, a gigante francesa expandiu sua atuação no maior mercado do mundo com a abertura de uma terceira fábrica, ao mesmo tempo em que no Velho Continente, devido a demanda cada vez mais baixa, se prepara fechar uma planta e demitir aproximadamente 11.200 funcionários.
Contraste: PSA abre fábrica na China e demite funcionários na Europa
Inaugurada em parceria com a fabricante local Dongfeng na cidade de Wuhan, província central de Hubei, a nova unidade fabril chinesa (a terceira do grupo no país) montará os sedãs Citroën C-Elyseé e Peugeot 301. A expectativa é ampliar substancialmente a capacidade produtiva da empresa, chegando a 750 mil unidades produzidas por ano em solo chinês até o final de 2015.
Contraste: PSA abre fábrica na China e demite funcionários na Europa
Na França, por outro lado, a PSA se prepara para implementar um plano de reestruturação que consiste no fechamento de uma fábrica na periferia de Paris e na extinção de 11.200 postos de trabalho. O país produziu no ano passado 40% dos veículos vendidos no mundo pelo grupo, mas registrou no ano passado um prejuízo operacional de mais de US$ 750 milhões.
Contraste: PSA abre fábrica na China e demite funcionários na Europa
Especialistas do setor reafirmam que a única saída da PSA para amortizar as perdas do mercado europeu é ampliar sua presença na China. Só neste ano, as vendas da marca no gigante asiático cresceram 32% em relação ao mesmo período de 2012 e a previsão é fechar o ano com recorde histórico. A meta de vendas de 500 mil unidades foi ampliada para 557 mil e até 2015 a expectativa é que o mercado chinês supere a França e se torne o maior comprador do grupo.

Seja parte de algo grande

Contraste: PSA abre fábrica na China e demite funcionários na Europa

Foto de: Dyogo Fagundes