Elétricos marcam presença em Pikes Peak e dividem atenção com recorde de Loeb

Considerado um dos desafios mais difíceis e a prova de automobilismo mais antiga dos Estados Unidos, a corrida anual de Pikes Peak, realizada no Colorado, terminou no último domingo (30) com recordes quebrados e resultados animadores em relação às médias alcançadas em 2012. O grande vencedor foi o piloto francês Sebastien Loeb, que correu a bordo de uma versão especialmente preparada do Peugeot 208, com sobrenome T16 e potência de 875 cavalos.
Elétricos marcam presença em Pikes Peak e dividem atenção com recorde de Loeb
De acordo com os organizadores do evento, Leob fez a prova no tempo de 8 minutos, 13 segundos e 878 milésimos, quebrando o recorde atingido em 2012 com um Hyundai Genesis Cupê, que fez a corrida em 9 minutos, 46 segundos e 164 milésimos. O segundo lugar ficou com o piloto Rhys Millen, que guiou o Hyundai RMR PM580-t e cravou o tempo de 9 minutos, 2 segundos 192 milésimos.
Elétricos marcam presença em Pikes Peak e dividem atenção com recorde de Loeb
Neste ano, a categoria de carros elétricos ganhou destaque e contou com a participação de seis competidores. A primeira posição ficou com o piloto Nobuhiro "Monster" Tajima e seu Monster Sport E-RUNNER Pikes Peak Special, que concluíram a prova em 9 minutos e 46,5 segundos. O tempo foi suficiente para garantir o quinto lugar geral e superar o Toyota TMG EV P002, que no ano passado atingiu a melhor média entre os elétrico com 10 minutos, 15 segundos e 380 centésimos. O Mitsubishi MiEV Evolution II ficou com o segundo e o terceiro lugares sendo pilotado por Hiroshi Masuoka e Greg Tracy, que conseguiram os tempos de 10:21.866 e 10:23.649, respectivamente.
Elétricos marcam presença em Pikes Peak e dividem atenção com recorde de Loeb
Iniciada em 1916, a corrida de Pikes Peak acontece há 91 edições e percorre 20 quilômetros em uma montanha no estado norte-americano do Colorado. A largada da prova está localizada a aproximadamente 2.862 metros acima do nível do mar e, 156 curvas depois, fica a linha de chegada com altitude de 4.300 metros. Uma curiosidade da prova é que, ao contrário dos carros a combustão, os elétricos não perdem potência ou sofrem de superaquecimento apesar das condições rarefeitas do ar.

Seja parte de algo grande