Rodovias paulistas não terão mais radares móveis

Alvos comuns de reclamações dos motoristas, os radares móveis - aqueles que ficam apoiados em suportes e escondidos atrás de obstáculos - farão parte do passado nas rodovias do Estado de São Paulo. Ao todo, 114 unidades do equipamento serão desativadas após o contrato das empresas responsáveis pela operação vencer. De acordo com Clodoaldo Pelissioni, superintendente do DER (Departamento de estradas de Rodagem), a medida vida "tornar a fiscalização das rodovias mais transparente". Em substituição aos equipamentos, o governo do estado abriu licitação para contratar 425 radares fixos, sendo que, destes, 114 serão do tipo lombada eletrônica. Já os equipamentos utilizados por policiais, de operação manual e que ficam nas viaturas, continuarão em funcionamento, evitando que a fiscalização da velocidade nas estradas sofra um impacto. Os demais radares, por força da legislação, devem ficar em locais visíveis, como postes. Desta forma, as empresas que administram as estradas estão proibidas de fixar o equipamento atrás de pontes ou passarelas, por exemplo.

Seja parte de algo grande