Cuba: seis meses após vendas liberadas, apenas 50 carros foram emplacados

Apesar de derrubadas as restrições que impediam a livre comercialização de carros entre cidadãos comuns, o mercado de automóveis em Cuba não deslanchou. Conforme já era previsto, os preços astronômicos pedidos pelos carros e o baixíssimo poder de compra da população limitaram fortemente o consumo e resultaram, ao fim do primeiro semestre, em pouquíssimos emplacamentos. De acordo com informações da agência Automotive News, apenas 50 carros e 4 motos foram faturados.
Cuba: seis meses após vendas liberadas, apenas 50 carros foram emplacados
A discrepância entre os preços praticados e o salário médio da população ajuda a entender com exatidão os números. Enquanto um Peugeot 206 ano 2013 custa 91 mil dólares, não raramente o ganho mensal de um trabalhador chega a apenas 20 dólares. A situação se complica ainda mais se tomarmos como exemplo um 508 zero quilômetro, oferecido por exorbitantes US$ 262 mil. Na prática, a oferta de veículos novos e semi-novos é benéfica apenas para os cidadãos mais abastados, na maioria das vezes estrangeiros residentes no país ou membros da alta cúpula do governo.
Cuba: seis meses após vendas liberadas, apenas 50 carros foram emplacados
A agência informa ainda que a comercialização do semestre, praticada por onze concessionárias autorizadas, movimentou alto em torno de 1,28 milhão de dólares. Segundo o governo cubano, 75% do valor das transações será aplicado no sistema público de transporte - embora o montante seja considerado insuficiente para que melhorias sólidas sejam implementadas.

Seja parte de algo grande