Contran barra Kombi e tapetão automotivo não deve acontecer

A novela que se formou em torno da obrigação dos airbags frontais e dos freios ABS em todos os carros brasileiros a partir de 2014 parece que vai ter um final feliz - em nome da segurança. Isso porque o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) se reuniu nesta quarta-feira (18) e decidiu que a Kombi não será uma exceção à regra, como chegou a sugerir o ministro da Fazenda Guido Mantega. "Não tem exceção. Seria um retrocesso a revogação da resolução. Há uma preocupação em elevar o padrão de segurança dos carros brasileiros. Estamos focados na vida e na segurança das pessoas", declarou o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro. Desta forma, tudo volta ao que havia sido decidido lá em 2009: carro sem airbags e ABS não emplaca 2014. Assim, Gol G4, Mille e Kombi vão poder finalmente descansar em paz ao fim de 2013.
Contran barra Kombi e tapetão automotivo não deve acontecer
O que faltou de bom senso ao governo quando acatou o pedido do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (de não encerrar a linha de Kombi e Gol G4 para evitar demissões) sobrou de objetividade ao Contran. "Para a manutenção do emprego, você tem diversas alternativas. Mas a solução para a vida das pessoas não pode prescindir destes equipamentos que comprovadamente reduzem a quantidade de vitimas nos acidentes de trânsito", completou Ribeiro. No fim, debater airbags e ABS foi um desgaste desnecessário para governo e indústria, conforme afirmou o colunista de UOL Carros Fernando Calmon. Era só manter o que havia sido combinado anteriormente... Relembre a novela Tudo começou na segunda-feira (9) com uma reunião entre o ministro Guido Mantega e representantes da indústria para discutir o impacto financeiro da instalação de airbags e ABS, que aumentaria em cerca de R$ 1,5 mil o preço básico dos carros que ainda não contam com os equipamentos – uma fatia cada vez menor do mercado, diga-se de passagem.
Contran barra Kombi e tapetão automotivo não deve acontecer
Na terça-feira (10), em assembleia no pátio da Volkswagen em São Bernardo do Campo (SP), Wagner Santana, secretário geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, afirmou que o governo federal anunciaria na semana seguinte uma medida provisória (MP) com novas regras sobre os prazos para a obrigatoriedade do ABS e dos airbags. Tais medidas permitiriam que VW Kombi e Gol G4, além de Ford Ka e Fiat Mille, continuassem sendo produzidos até 2016. Em entrevista à reportagem do CARPLACE, um trabalhador do setor automotivo que preferiu não se identificar disse que a proposta foi liderada pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, com apoio do ex-presidente Lula. Segundo ele, Lula teria inclusive conversado com a presidente Dilma para que aprovasse a MP. De acordo com a mesma fonte, as chamadas "newcomers" (Renault/Nissan, Toyota, Honda, Peugeot/Citroën, entre outras) foram contrárias à medida, que poderia acarretar no cancelamento de investimentos já anunciados, em virtude de colocar em jogo todo o planejamento dos últimos anos.
Contran barra Kombi e tapetão automotivo não deve acontecer
Discussões à parte, as montadoras estavam preparadas para esta situação, pois as resoluções 311 e 312 do Contran, que tornam airbags e ABS obrigatórios a partir de 2014, foram aprovadas em 2009. Tanto é que a Volkswagen criou a versão de despedida da Kombi (Last Edition) e até organizou uma visita da imprensa internacional à linha de montagem da "velha senhora", enquanto a Fiat vai anunciar em breve a edição derradeira Gazie Mille.

Seja parte de algo grande