União Europeia processa Brasil na OMC por Super IPI dos importados

União Europeia processa Brasil na OMC por Super IPI dos importados
Após gerar discussão e receber críticas da opinião pública em relação à "quase prorrogação" da obrigatoriedade dos freios ABS e duplo airbag nos carros novos para 2014, o governo brasileiro terá que se explicar em mais um assunto que envolve o setor automobilístico. Nesta quinta-feira (19), a União Europeia comunicou que protocolou um processo contra o Brasil junto à Organização Mundial do Comércio (OMC). O motivo é bem conhecido dos brasileiros: a alta carga de impostos sobre produtos importados, em especial, os carros. O chamado "Super IPI", que adicionou 30 pontos percentuais sobre o Imposto de Produtos Industrializados, é uma das queixas presentes no processo. A União Europeia, através de autoridades, disse que outros parceiros comerciais de peso, o que inclui os Estados Unidos, podem juntar esforços com os países do Velho Continente para tratar do assunto. Anunciado em setembro de 2011, o Super IPI brasileiro entrou em vigor no dia 16 de dezembro daquele ano, completando, portanto, dois anos em vigor. Defendido pelo governo brasileiro como uma proteção para a indústria nacional, teve como resultado a chegada de várias fábricas de montadoras europeias, como Audi, BMW, Mercedes-Benz e Jaguar-Land Rover. O aumento não atingiu os países participantes do Mercosul, mas aplicou um novo regime de cotas para veículos trazidos do México.
União Europeia processa Brasil na OMC por Super IPI dos importados
Segundo a União Europeia, foram mais de dez rodadas de negociações com o governo brasileiro sem nenhuma solução, sendo o processo aberto na OMC a última saída.

Seja parte de algo grande