Anfavea evita pessimismo mesmo em mês de queda generalizada

Os resultados da indústria automotiva não foram nada positivos no último mês de março. Em coletiva realizada nesta sexta-feira (4), a Anfavea (associação que reúne as principais fabricantes) anunciou queda de produção, vendas e exportações, fechando o primeiro trimestre de 2014 com números abaixo do mesmo período do ano anterior. Para a entidade, março sofreu com menos dias úteis (por conta do feriado de carnaval) e também pelo fim dos estoques ainda com IPI antigo. Além disso, o mês teve resultados atípicos entre os modelos mais vendidos, registrando pela primeira vez a liderança de um comercial leve no ranking geral, a Fiat Strada - com maioria esmagadora de vendas para empresas. Para Luiz Moan, presidente da Anfavea, isso não significa que o consumidor comum esteja com receio e as empresas estejam comprando, pois não houve aumento das vendas para pessoa jurídica em relação à pessoa física. No acumulado, março registrou produção de 271,2 mil carros e comerciais leves, cifra que representa uma queda de 3,6% em relação a fevereiro e de 17,6% se comparado ao mesmo mês do ano passado. Em termos de vendas, foram 240,8 mil unidades, um decréscimo de 7,1% em relação ao mês anterior e 15,2% na comparação com o mesmo período de 2013. Comparando o primeiro trimestre de 2014 com o de 2013, a produção recuou 8,4% e as vendas 2,1%.
Anfavea evita pessimismo mesmo em mês de queda generalizada
Em resposta a alguns movimentos de férias coletivas e programas de demissão voluntária que começam a surgir em algumas montadoras, Moan rebate que não é hora para pessimismo. "No mês passado mesmo nós estávamos comemorando o melhor bimestre de produção da história", lembra o executivo. Por isso, a Anfavea continua apostando em crescimento acima de 1% para o mercado automotivo em 2014. Algo que nós do CARPLACE julgamos um tanto difícil caso os juros continuem subindo e não haja novo posicionamento do governo na questão do IPI.

Seja parte de algo grande