Vendas em julho registram queda de 13% em relação a 2013; Fiat amplia vantagem

Um copo “meio cheio” ou “meio vazio”? De acordo com os números de emplacamentos oficiais de julho divulgados pela Fenabrave, o mercado automotivo brasileiro vivenciou um dilema existencial no mês passado. Pela ótica mais positiva, os 279.815 veículos novos registrados – 207.971 automóveis e 71.844 comerciais leves – representaram um crescimento de 11,64% na comparação com junho. Pela perspectiva mais sombria, entretanto, este resultado foi 13,62% inferior ao registrado há um ano. A visão mais negativa permanece quando se constata que o acumulado do ano, de 1.862.418 unidades, já é 8,33% inferior ao total emplacado nos sete primeiros meses de 2013. Lembrando ainda que o mês de julho teve as piores vendas diárias do ano. Para a Fenabrave, entretanto, as perspectivas não são tão ruins. “Apesar dos últimos meses terem apresentado queda nas vendas, o mês de julho foi positivo para todos os segmentos, inclusive para os setores de automóveis e comerciais leves, pois tivemos 22 dias úteis contra 18 dias no mês anterior. Isso, mesmo considerando o feriado estadual em São Paulo, em 9 de julho (Revolução Constitucionalista), e os dias de jogos da Copa”, comentou Flavio Meneghetti, presidente da entidade. Ampliando a participação de mercado na comparação com junho (21,01% x 20,43%), a Fiat (58.783) abriu mais de oito mil unidades de vantagem sobre a Chevrolet (50.197), que superou a Volkswagen (48.829). A Ford (25.437) completou o G4. Pelo segundo mês consecutivo à frente da Renault (17.982), a Hyundai (21.476) se aproximou dos 8% de market share. Num mês fraco para as marcas francesas, Citroën (4.242) e Peugeot (3.006) ficaram fora do top 10. Com 1.050 unidades, a Mercedes-Benz derrotou a BMW (1.038) por apenas 12 unidades e liderou entre as marcas Premium.
Vendas em julho registram queda de 13% em relação a 2013; Fiat amplia vantagem
Fonte: Fenabrave

Seja parte de algo grande