Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade

Assim que dei a primeira esticada na Ducati Streetfighter 848 na pista, achei que o velocímetro dela estava com problemas. Os três dígitos no painel indicavam que estávamos rápido, mas, curiosamente, a sensação era de não estar tão veloz. Na verdade, o "problema" estava em mim: eu havia sido contaminado pelo vírus da velocidade. É algo que se pega após consumir uma dose exagerada de cv's e kgfm's, misturada com despejo extra de adrenalina nas veias. E confesso que andei abusando: até por as mãos na macchina italiana de 132 cv sobre duas rodas, eu tinha passado os últimos dias dirigindo nada menos que a Audi RS6, que com seu V8 biturbo de 560 cv detém o título de perua mais potente do mundo. Esta dupla vicia qualquer um em acelerar - principalmente os reincidentes, como é meu caso. Mas por que juntamos RS6 e Streetfighter? Primeiro, porque aqui no CARPLACE nós gostamos de qualquer coisa com motor - só não testamos aviões porque nos falta o brevê de piloto. Mas o motivo principal da reportagem foi celebrar, da maneira mais divertida possível, a incorporação da Ducati à Audi, ocorrida em 2012, e que em breve deve gerar novos frutos. É a resposta, em forma de motos, do pessoal de Ingolstadt aos rivais de Munique, uma vez que a BMW sempre foi tão famosa por seus carros quanto por suas motos, feitas pela divisão Motorrad. Aliás, aqui aproveito para deixar uma provocação no ar: e aí, Mercedes, vai ficar de fora desta briga?
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Se a RS6 ostenta o título de station mais demoníaca do planeta, a Streetfighter não deixa por menos e faz jus ao nome "lutadora de rua". Você pode alegar que a gente devia ter escolhido a superesportiva Panigale para representar a Ducati, mas ela é praticamente uma moto de corrida licenciada para as ruas. Não era essa a ideia. A 848 é uma esportiva mais "mundo real", assim como a RS6 se propõe a ser o carro da família. Decolagem autorizada A RS6 faz você esquecer tudo que aprendeu nas aulas de física. Como um objeto de quase cinco metros e mais de duas toneladas (e olha que ela emagreceu!) pode se mover tão rápido? A capacidade de aceleração é brutal, chega a dar vertigem - algo que poucos carros que dirigi até hoje foram capazes de fazer. Sim, a RS6 entra na minha seleta lista de Ferrari 458 Italia, Porsche Panamera Turbo S e os Mercedes SLS e E 63 AMG - todos bólidos que chegam aos 100 km/h em cerca de 4 segundos. E com a Audi não foi diferente. Impulsionada pelos colossais 71,4 kgfm de torque (despejados de 1.750 a 5.500 rpm) e lançada pela tração integral Quattro (sem cantar pneu), a perua cravou 0 a 100 km/h em exatos 4,0 segundos durante nossas medições - com a melhor passagem em 3,8 s!
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Ela simplesmente debulhou os recordes de desempenho dos Testes CARPLACE, não somente nas acelerações como também nas retomadas. Ultrapassagens são quase como telepatia: você enxerga o espaço vazio, pisa fundo e a perua já está lá - como comprovam os míseros 2,4 s de 80 a 120 km/h. Mas, cá para nós, 120 km/h é fichinha para esse carro. Ele nasceu para atravessar as autobanhs alemães a mais de 250 km/h com absoluta tranquilidade, como um trem bala. Nós passamos dos 240 km/h na pista, e ainda tinha sobra de conta-giros e velocímetro. A máxima informada pela Audi é de 305 km/h. Isso mesmo, TREZENTOS e cinco...
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Quem experimenta o lado furioso da RS6 talvez não imagine que ela também sabe ser uma dama quando requisitada. Passe o sistema Drive Select para a opção Comfort e nem sua avó desconfiará dos 560 cv lá na frente. A suspensão com molas a ar fica "fofinha", o câmbio de oito marchas desliza entre suas relações como faca quente na manteiga e a direção elétrica assume sua faceta mais leve. Daí você mal percebe que está num monstro com rodas gigantescas (aro 21) e pneus saradíssimos (Dunlop 285/30), tamanha a suavidade de rodagem - para um esportivo deste naipe, que fique bem claro. Viajando num ritmo sossegado, a RS6 até ajuda a economizar. Mantenha a aceleração suave constante (a 120 km/h são menos de 2 mil rpm) e o motorzão V8 desativa metade dos cilindros, passando a funcionar como um "V4". Só percebemos o sistema em ação porque um aviso aparece no painel, mas basta você pisar mais forte para que as "oito bocas" voltem a atuar plenamente. Andando na boa, conseguimos média de 9,6 km/l na estrada. Na cidade não teve jeito, o consumo caiu para 4,2 km/l.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Mas quem compra um RS6 não está preocupado em economizar, certo? Pois então chega de passear e vamos ver do ela é capaz. Após o teste de pista, no interior paulista, voltei para a capital por uma estradinha sinuosa (e deserta) que costumo levar os carros, digamos, mais divertidos. Estreita e cheia de curvas fechadas, não é exatamente a praia desta grandalhona, mas não há nada que sobreponha os 560 cv. Respeitado o entre-eixos longo, a RS6 parecia ter a agilidade de um hot hatch nas curvinhas. Passei o Drive Select para o Sport e desativei o ESP. Sem dramas: a suspensão se torna uma rocha (você sente qualquer pedrinha sob o carro), a direção ganha sensivelmente mais peso e a tração Quattro, em conjunto com os pneuzões, garante aderência além da imaginação.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Quando percebo, estou deixando para frear lá no "Deus me livre" e entrando nas curvas escorregando. Claro que a RS6 tem seus limites, e ela sai de frente quando a gente exagera, mas só senti isso nos cotovelos mais travados. É preciso ficar atento com a velocidade, pois a perua transmite tanta confiança que você começa a abusar sem se dar conta. Como pode ser tão grudada no chão? E que retomadas! Não olho nada a não ser o traçado e o velocímetro digital espelhado no para-brisa pelo head-up display, enquanto troco as marchas pelas borboletas no volante. A direção rápida e precisa enterra de vez o papo de que sistema elétrico é ruim de feedback: ela me conta tudo que se passa com os pneus na palma das minhas mãos, e a RS6 segue firme e forte, (quase) sem inclinação de carroceria, sem ESP, sem cantadas homéricas de pneus... Só eu, ela e a estrada. O "V8itão" de 4 litros e duas turbinas é a melhor coisa deste carro, e disso eu não tenho dúvidas, mas é o conjunto que o torna tão especial. Câmbio de dupla embreagem? Não faz falta, a transmissão automática de oito relações é tão esperta quanto a caixa S-Tronic de outros Audi (aceita reduções com giro lá em cima!) e ainda tem o "plus" das passagens mais suaves. A tração integral também é inteligente, proporcionando equilíbrio e, ao mesmo tempo, tendo seus momentos de tração traseira. Quando a gente fica o pé no acelerador, o sistema joga até 85% da força para as rodas de trás, algo que sentimos em forma de uma leve abanada de rabo. Alguns podem acusar a RS6 de fazer tudo sozinha, tamanha a eficiência para andar "descabelando", mas prefiro entendê-la como uma máquina que faz meros mortais terem seus 15 minutos de Ayrton Senna.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Eu tive um pouco mais do que isso: foram pelo menos uns 20 quilômetros de "castigo" para a RS6, usando e abusando de motor, freios, suspensão e câmbio. Para se ter ideia, o consumo médio caiu a 3,7 km/l nesta hora. Ao fim da seção, apenas o pedal do freio baixou um pouco, mas sem que o sistema perdesse a eficiência. Na pista, horas antes, os discos de cerâmica do tamanho de uma pizza gigante e pinças com a mordida de um Rottweiler garantiram uma parada total em apenas 35,9 metros quando vindo a 100 km/h - só perdendo para o leve Renault Mégane RS em nosso histórico de testes. Requer experiência anterior Ainda estou atônito com o desempenho da RS6 quando vou buscar a Streetfighter. A Ducati, para quem não sabe, é conhecida por ser a Ferrari das motos - não só pela procedência italiana, mas pela ferocidade de seus modelos. Esta "brigadora de rua" é simplesmente a naked (esportiva sem carenagem) mais potente da categoria por aqui, com um motor bicilíndrico em "L" de 849 cc que gera 132 cv e 9,5 kgfm de torque. Para se ter ideia, uma BMW F800R, com configuração semelhante de motor, fica nos 87 cv.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Não deixe se levar pelo bloco de dois cilindros, que normalmente entrega mais torque em baixa em detrimento de potência em alta. O propulsor italiano, chamado de Testastretta, é explosivo em qualquer condição - a potência máxima surge a 10 mil rpm. Parte deste temperamento nervoso pode ser explicado pelo comando de válvulas desmodrômico. Trata-se de uma solução adotada desde os anos 50 pela Ducati, que faz o eixo comandar as válvulas sem o uso de molas, diretamente nos cames. Assim, há menos perda de energia e, em altas rotações, as válvulas não correm risco de flutuar e ver a potência máxima ir embora. Fora isso, o comando é "bravo", que embaralha a marcha-lenta e convida a encher a mão na manete direita. Como legítima italiana, a 848 fala alto. Perto da RS6, com o ronco abafado do V8 biturbo, ela é bem mais "esporrenta" - alguns podem sentir saudades do V10 da antiga RS6, mas ainda assim a nova urra bonito sob aceleração máxima. Uma saborosa semelhança entre carro e moto aparece na hora em que aliviamos o acelerador: as explosões e pipocos que estouram nas saídas de escape - dupla na 848 e quádrupla na RS6, sendo duas dentro de cada gorda abertura no para-choque traseiro.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Chamo a Streetfighter para a briga e ela cai dentro. Diferentemente da RS6, que te ajuda a tirar o máximo da máquina, aqui é preciso ter experiência anterior para extrair todo o "suco" que esta Ducati pode entregar. Caso contrário, corre-se o risco de levar um hadouken dela (como no game Streetfighter) e acabar no chão. Para se ter ideia, não há nem freios ABS - somente o controle de tração com oito níveis. O banco é elevado, a 84 cm do chão, e o guidão fica bem baixo e avançado, enquanto as pedaleiras são bastante recuadas. A ideia é que você pilote praticamente o tempo todo em posição de ataque, quase deitado no tanque. Sim, isso cansa depois de um tempo, mas a 848 não foi feita para grandes viagens.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
O negócio dela são tiros curtos, estradinhas de montanha e alguns quilômetros de autoestrada. Pois a levei exatamente no mesmo trajeto que tinha feito com a Audi dias antes. Foi animal. Ainda que tenha quadro de aço (e não de alumínio), a Streetfighter pesa apenas 199 kg em ordem de marcha. Fazendo uma conta simples, chegamos a uma relação peso-potência de 1,5 kg para cada cavalo. Na RS6, a mesma divisão resulta em 3,6 kg por cv. Ou seja, por mais que a patada da Audi seja de embaralhar a vista, a Ducati tem muuuito menos massa para deslocar e acelera com ainda mais desenvoltura.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Assim, numa hipotética arrancada entre as duas feras, a Streefighter pularia na frente com sua aceleração de 0 a 100 km/h em 3 segundos, mas depois a RS6 iria buscar e, enquanto a moto ficaria nos 260 km/h de máxima, a perua sumiria além dos 300 km/h. Mas velocidade não é tudo, e o que queremos aqui é diversão. Qual me fez abrir o maior sorriso ao fim do teste? Não sei dizer, são emoções distintas. Na RS6 você contraria tudo que normalmente faria com uma perua deste tamanho, na parte física da coisa. E o V8 biturbo empurra demais! Na Ducati a tensão é maior, mas a recompensa também. Não há chapas de aço e alumínio te protegendo em caso de cagada, nem inúmeras babás eletrônicas e múltiplos airbags. Nesta esportiva você se sente quase correndo a pé, pois praticamente só enxerga a estrada à sua frente - o painel está lá embaixo. É muito mais visceral, é você quase ralando no asfalto a sabe-se lá quantos km/h...
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Comentei da ausência do ABS, mas também preciso dizer que o sistema de freios da Ducati, com pinças Brembo montadas radialmente, é sublime. Ele não tem aquela "pegada" inicial que talvez você espere de uma moto dessas, mas isso ajuda a modular a frenagem para não deixar as rodas travarem. Cuidado maior é preciso ter nas reduções bruscas, pois se você soltar a embreagem muito rapidamente a roda traseira pode travar e desequilibrar a moto - especialmente se o controle de tração estiver nos modos mais permissivos ou desligado. Tirando isso, a 848 tem estabilidade de sobra em velocidades elevadas, com guidão pesado, e as suspensões (ajustáveis tanto nos garfos dianteiros quanto na mola traseira) deixam a moto bastante firme. Mesmo que você pegue uma depressão ou um buraco inesperado no meio da curva, ela bate seco, mas segue na trajetória. Por fim, os grudentos pneus Pirelli Diablo Corsa montados em rodas aro 17" mostram ótima capacidade de agarre à pista.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Nas saídas de curva, o motorzão logo fica à espreita para voltar a empurrar a 848. A retomada de giro é rápida e o som borbulhante faz você esticar as marchas quase que sem querer, só para curtir. Além do mais, o câmbio de seis marchas revela ótimo escalonamento, sem fazer o motor girar alto em velocidades normais de viagem - como faz a Kawasaki Z800 com sua relação muito curta. Os engates são precisos e fáceis, mas às vezes enrosca nas reduções. E a embreagem, seguindo o restante do conjunto, tem acionamento pesado. Pura ou com filtros? A grande magia da RS6 está no fato de unir desempenho de Ferrari e espaço de perua num carro só. E faz isso com muito luxo e sofisticação. Repare nos maravilhosos bancos tipo concha (até os traseiros são assim!) forrados de couro Alcantara, no volante com a base reta e na infinidade de botõezinhos e gadgets no painel. Dá pra ver TV, assistir DVD, ouvir música em alta qualidade (o sistema de áudio é da exclusivíssima Bang & Olufsen) ou simplesmente usar o GPS para calcular sua rota. Fora isso, o acabamento é de babar, com farto uso de couro, aço escovado e fibra de carbono, que decora o painel e laterais de porta.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
O espaço interno é bom, mas nada surpreendente para um carro com mais de 2,90 metros de distância entre-eixos. Também não adianta oferecer muita carona para a família porque os lugares são limitados a quatro. No banco de trás, a parte do meio é ocupada por um console de plástico, e no piso todo espaço é tomado pelo ar-condicionado traseiro - que totaliza um sistema quadri-zone. Já o porta-malas é cavernoso, com 565 litros até a altura dos vidros. Como esperado, a tampa abre e fecha automaticamente.
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Em oposição ao luxo da Audi, a Ducati dispensa qualquer tipo de supérfluos. Você não vai encontrar computador de bordo e sequer um marcador de combustível entre os instrumentos do painel digital - há apenas uma luzinha de reserva da gasolina. Não espere também por conforto, pois a suspensão dura não tolera pisos ruins, a posição de pilotagem é agressiva e o motor emite um bafão nas suas pernas. É uma moto para uso específico, focada em diversão para fins-de-semana. Apesar de que, estreitinha e com torque de sobra, é uma delícia para cortar o trânsito!
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Já a RS6 seria um excelente daily driven, exceto pelo fato de que ela não chama "quase nada" de atenção por aí. Serão apenas 30 unidades importadas para o Brasil neste ano, com preço de R$ 556 mil - quase R$ 1 mil para cada cv do motor! A Streetfighter também é garantia de exclusividade, uma vez que ela também não custa pouco: os R$ 52.900 pedidos pela Ducati podem soar como pechincha perto da RS6, mas a maioria das rivais não passa dos R$ 40 mil. No desligar dos motores, chegamos então ao título desta reportagem: se dinheiro traz felicidade eu não sei, mas velocidade eu sei que ele traz!
Teste CARPLACE: Audi RS6 e Ducati Streetfighter 848 - dinheiro traz velocidade
Por Daniel Messeder Fotos Rafael Munhoz Ficha Técnica – Audi RS6 Avant Motor: dianteiro, transversal, oito cilindros em V, 3.993 cm3, biturbo, intercooler, injeção direta, gasolina; Potência: 560 cv de 5.700 a 6.600 rpm; Torque: 71,4 kgfm de 1.750 rpm a 5.500 rpm; Transmissão: automática de oito marchas, tração integral permanente Quattro com diferencial traseiro esportivo; Suspensão: Independente nos dois eixos com molas adaptativas a ar; Freios: discos ventilados na dianteira e traseira com ABS; Rodas: alumínio aro 21" com pneus Dunlop 285/30 R21; Peso: 2.010 kg; Capacidades porta-malas 565 litros, tanque 75 litros; Dimensões: comprimento 4.979 mm, largura 1.936 mm, altura 1.461 mm, entreeixos 2.915 mm Medições CARPLACE Aceleração 0 a 60 km/h: 2,1 s 0 a 80 km/h: 3,0 s 0 a 100 km/h: 4,0 s Retomada 40 a 100 km/h em S: 2,8 s 80 a 120 km/h em S: 2,4 s Frenagem 100 km/h a 0: 35,9 m 80 km/h a 0: 22,7 m 60 km/h a 0: 13,0 m Consumo Ciclo cidade: 4,2 km/l Ciclo estrada: 9,6 km/l Números do fabricante Aceleração 0 a 100 km/h: 3,9 s Consumo cidade: N/D Consumo estrada: N/D Velocidade máxima: 305 km/h Ficha técnica - Ducati Streetfighter 848 Motor: dois cilindros em L, 8 válvulas, comando desmodrômico, 849 cm3, injeção eletrônica, gasolina, refrigeração líquida; Potência: 132 cv a 10.000 rpm; Torque: 9,5 kgfm a 9.500 rpm; Transmissão: câmbio de seis marchas, transmissão por corrente; Quadro: chassi de treliça de aço tubular; Suspensão: garfos invertidos na dianteira ajustáveis (127 mm de curso) e balança com braço único monoamortecido na traseira (127 mm de curso) ajustável; Freios: discos duplos semi-flutuantes na dianteira (320 mm) com pinças Brembo montadas radialmente e disco simples na traseira (245 mm); Pneus: 120/70 ZR17 na dianteira e 180/60 ZR17 na traseira; Peso: 199 kg; Capacidades: tanque 16,5 litros; Dimensões: comprimento 2.102 mm, largura 775 mm, altura 1.114 mm, altura do assento 840 mm, entreeixos 1.475 mm

Galeria de fotos: Audi RS6 Avant e Ducati Streetfighter 848

Clique aqui para ver mais de 80 fotos em alta resolução

Seja parte de algo grande