Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste

Como havíamos adiantando no começo deste Garagem CARPLACE com o Focus hatch, chegou a hora de trocar o modelo SE 1.6 manual pelo 2.0 Powershift, que também veio na versão intermediária SE, tabelada a R$ 73.790. Diferente do 1.6, o 2.0 chega na cor prata e mais rodado (já tem mais de 11 mil km). A transmissão é de dupla embreagem e seis marchas, única disponível para o Focus 2.0 no mercado brasileiro.
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
A gente gostou do Focus 1.6, como vocês puderam acompanhar nos posts passados. Ficou a impressão de um carro com motor justo, que nem falta nem sobra. Mas nada como acelerar o Focus 2.0, este sim com desempenho à altura da dinâmica deste Ford. Conhecido por levar refinamento mecânico às massas, como a suspensão traseira multilink, o Focus segue a tradição nesta terceira geração: o motor Duratec ganhou comando duplo variável, para melhor torque em baixa e potência em alta, além da injeção direta de combustível, para manter o consumo em níveis aceitáveis mesmo com expressivos 178 cv e 22,5 kgfm de torque. Fora isso, a direção elétrica foi trabalhada para anular as vibrações e desníveis vindos do piso sem perder a comunicação com o motorista.
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
O resultado é um conjunto muito bem acertado, que consegue satisfazer aos amantes da máquina, aquele cara que curte sair dirigindo por aí. É um carro espertíssimo. Mesmo com motor aspirado, tem disposição além da esperada nas arrancadas - fez de 0 a 100 km/h em 9,3 segundos. Curvas? Come com farinha. Os bancos têm bons apoios laterais e seguram bem, tanto o motorista quanto o passageiro, quando a condução fica mais animada. E mesmo com as rodas maiores (aro 17" contra 16" da versão 1.6), o SE 2.0 continua a trafegar sossegado pelo nosso asfalto judiado. Palmas para o acerto de suspensão, mais uma vez.
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
Ao mesmo tempo, essa versão 2.0 SE fica devendo em pequenos "features", considerando que estamos num carro de quase R$ 75 mil. Ao chegar na garagem, abrimos as portas através do controle e notamos que o carro não possui o chamado "coming/leaving home". Também sentimos falta do retrovisor eletrocrômico na condução noturna. Tirando as rodas 17", os itens de série são os mesmos do SE 1.6
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
O sistema de som é completo, com conexão bluetooth para celular, porta USB e rádio, mas talvez por ser fornecido pela Microsoft, travou em algumas situações, especificamente ao tentar acessar uma rádio pré-armazenada e ao navegar pelas músicas do pen-drive. Curiosamente, quando isso acontece, é possível acessar uma opção para reiniciar o dispositivo, assim como ocorre com o sistema operacional da própria Microsoft. OK, isso não tira nenhum mérito do carro, mas, pelo valor, uma central com tela maior e navegador integrado seria mais adequada. O jeito é gastar mais R$ 3,5 mil na central multimídia vendida como acessório. Quer ar-digital? Some mais R$ 1 mil na conta. Quer mais? Então vá para as versões SE Plus e, principalmente, Titanium. Mas saiba que o Focus hatch completão vai a quase R$ 90 mil...
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
Gostamos muito de trabalhar bem o giro do motor, subindo até a casa dos 7.000 rpm. Mas sabe aquela retomada rápida em que instintivamente você reduz duas ou três marchas? A primeira reação é tentar puxar a alavanca de câmbio, ou ainda, procurar a borboleta esquerda no volante. Pois neste Ford as trocas manuais só podem ser feitas através de botões na lateral da manopla. É muito ruim, e a gente vai reclamar disso sempre que dirigir esse Focus. As borboletas podem não ter muito sentido em alguns carros, mas logo no Focus, referência em dirigibilidade? Tirando essas questões, o carro vem empolgando bastante a galera da redação. Quem dirigiu, curtiu. E olha que a gente nem está gastando tanto combustível assim. Para um 2.0 com este desempenho, até que os 7,5 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada (sempre com etanol) estão de bom tamanho. Com gasolina, esses números melhoraram para 9,2 km/l e 13,2 km/l, respectivamente. A próxima missão do Focus por aqui, porém, não será nada fácil. Dá só uma olhada aí embaixo em quem veio medir forças com ele. O resultado desse pega você confere no próximo capítulo do Garagem. Imperdível!
Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste
Texto e fotos: Fábio Trindade e Daniel Messeder Ficha técnica – Ford Focus SE 2.0 Powershift Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 16 válvulas, 1.999 cm3, comando duplo variável, injeção direta, flex; Potência: 175/178 cv a 6.500 rpm; Torque: 21,5/22,5 kgfm a 4.500 rpm; Transmissão: câmbio automatizado de seis marchas, dupla embreagem, tração dianteira; Direção: elétrica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e multilink na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Rodas: aro 17" com pneus 215/50 R17; Peso: 1.375 kg; Capacidades: porta-malas 316 litros, tanque 55 litros; Dimensões: comprimento 4.358 mm, largura 1.823 mm, altura 1.484 mm, entreeixos 2.648 mm Medições CARPLACE Aceleração 0 a 60 km/h: 4,4 s 0 a 80 km/h: 6,4 s 0 a 100 km/h: 9,3 s Retomada 40 a 100 km/h em S: 7,0 s 80 a 120 km/h em S: 6,2 s Frenagem 100 km/h a 0: 40,8 m 80 km/h a 0: 25,3 m 60 km/h a 0: 14,1 m Consumo Ciclo cidade: 7,5 km/l (9,2 km/l gasolina) Ciclo estrada: 10,8 km/l (13,2 km/l gasolina) Números do fabricante Aceleração 0 a 100 km/h: - Consumo cidade: - Consumo estrada: - Velocidade máxima: 197 km/h

Galeria de fotos: Ford Focus 2.0 SE Powershift 2014

Seja parte de algo grande

Garagem CARPLACE #4: bom de máquina, Focus SE 2.0 deve nos "features" - veja teste

Foto de: Daniel Messeder