Crise na Venezuela: Ford suspende temporariamente a produção local

Sofrendo os efeitos da grave crise que afeta o país vizinho, a planta da Ford em Valencia ficará paralisada até junho devido à falta de dólares no mercado para importar os componentes necessários para a montagem. No entanto, há uma pequena chance das operações voltarem ao normal. O ministro dos Transportes da Venezuelana, Haiman El Troudi, irá marcar uma reunião entre representantes do governo e da Ford para encontrar uma solução para esta crise.
Crise na Venezuela: Ford suspende temporariamente a produção local
El Troudi também sugeriu liberar US$ 20 milhões em empréstimos à montadora até o fim desta semana. Seria uma ótima notícia para a marca do oval azul, lembrando que, devido à crise, foram produzidos apenas 500 veículos nos primeiros quatro meses de 2014. Porém, a Ford não foi a única afetada na Venezuela. Outros grandes da indústria automobilística como a Fiat-Chrysler, General Motors, Toyota e Mitsubishi também sofrem com a escassez de moeda. Há cerca de 11 anos, o país vizinho bloqueou a fuga de capital controlando a moeda estrangeira por meio de três taxas de câmbio diferentes, dependendo do setor da economia.
Crise na Venezuela: Ford suspende temporariamente a produção local
Mas o golpe mais duro sofrido pelo setor automotivo ocorreu no fim de 2013, quando o presidente Nicolas Maduro, assinou a lei que deu poderes ao governo para controlar os preços de carros novos e usados. Essa medida resultou na queda de 64% das vendas em relação ao ano anterior com produção de apenas 3.400 unidades no primeiro quadrimestre de 2014.
Crise na Venezuela: Ford suspende temporariamente a produção local
A fábrica venezuelana da Ford fica localizada na cidade de Valencia, começou a operar em 1962 e atualmente produz os modelos: Cargo, Explorer, Explorer Sport Trac, F-Series e Fiesta.

Seja parte de algo grande