Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"

Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Criticadas por alguns, admiradas por muitos, as versões de visual esportivo estão cada vez mais na mira dos fabricantes. Nesta edição do Garagem CARPLACE, o novo Uno Sporting recebeu a visita do recém-lançado Onix Effect para um encontro onde só entram os "esportivos de fachada". Tem que ter detalhes de acabamento em cores mais chamativas, rodas exclusivas, adesivos e até adereços esportivos, mas tudo mantendo a mecânica original. Após analisar a receptividade do público no Salão do Automóvel, a GM decidiu produzir o Onix Effect como mais uma versão da linha, e não apenas uma série especial. Pesquisas realizadas pela marca revelaram que o design é o primeiro item de escolha para 37% das pessoas, conforto 35%, performance 24% e dirigibilidade apenas 15%. Isso considerando o segmento de carros compactos.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Já a história do Uno Sporting começa antes, estreou com a nova geração em 2010. A exemplo do que aconteceu com o Onix, a versão de visual esportivo estava disponível nos irmãos maiores (Palio, Punto e Bravo) e acabou chegando ao caçula. Apesar de pertencerem a segmentos diferentes, ambos são compactos, trazem sob o capô motores de 1.4 litro aspirados e seguem a receita de estilo agressivo sem alterações mecânicas.

Uno Sporting

Com a reestilização da linha 2015, a Fiat agregou novidades para o Sporting: para-choques redesenhados, com destaque para o traseiro com saída de escape central, interior todo com acabamento preto, retrovisores com repetidores de seta, rodas exclusivas de aro 15" e até câmbio Dualogic Plus com borboletas no volante.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Logo ao se acomodar no banco do motorista, o primeiro apelo é o visual interno. Não há luxos, mas a aparência do acabamento todo em preto (inclusive nas colunas e teto) contrasta bem com os novos e belos mostradores do cluster (que possui computador de bordo completo). Gostamos também do aplique na cor branca do painel, de toque macio, e da nova tela do sistema de áudio no console central. As novas maçanetas e forrações em tecido nas portas também contam pontos, principalmente porque estamos falando do carro de entrada da Fiat. No dia-a-dia (principalmente no trânsito urbano), o Uno agradou. Oferece boa ergonomia, posição de dirigir e visibilidade adequados (o banco do motorista possui ajuste de altura). Mas o destaque nesta versão é o câmbio Dualogic, que além de trazer a novidade dos comandos nos botões no console (em vez da tradicional alavanca), também traz as borboletas no volante para trocais manuais e de quebra é o que tem melhor acerto entre os modelos que testamos da Fiat. As trocas poderiam ser um pouco mais rápidas em situações em que se exige mais do motor, mas em uso normal vai muito bem e não dá soluços tão fortes como no VW up!, por exemplo.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Em relação as demais versões, o Sporting tem acerto de suspensão mais firme, o que é sensível, mas está longe de ser duro. Vai bem na cidade e nas imperfeições do asfalto, além de proporcionar mais estabilidade na estrada e em curvas mais fechadas. O motor 1.4 EVO de 88 cv e 12,4 kgfm entrega desempenho suficiente para o peso do carro (1.023 kg), mas longe de corresponder ao estilo invocado. Dá conta do recado na cidade, mas não espere emoção na estrada, pois as respostas são tímidas e as passagens de marcha poderiam ser mais ágeis. Ao menos dá para se divertir com as reduções nas borboletas antes das curvas, já que o câmbio faz um punta-tacco automático, elevando o giro do motor. Outro ponto positivo é que o Uno ficou bem mais silencioso que o modelo anterior, se aproximando dos novos compactos que chegaram ao segmento mais recentemente. O consumo na cidade oscilou entre 7 e 8 km/l usando etanol.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"

Onix Effect

A versão esportiva do Onix aposta em decalques coloridos no capô, laterais e tampa traseira, teto e aerofólio em preto brilhante, retrovisores personalizados, lanternas escurecidas e faróis com máscara negra, além das rodas aro 15" com pintura grafite. Por dentro, ganhou um novo volante com base reta (bem legal), molduras das saídas de ar em vermelho e novo grafismo no quadro de instrumentos.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Internamente os detalhes em vermelho, bancos com costuras à mostra e o novo volante são os destaques desta versão - dão um toque de esportividade sem "pesar a mão" na aparência. No mais, mantém a mesmo estilo geral das outras versões. O visual é simples e moderno, mas a qualidade dos materiais não anima, principalmente no painel e forração das portas. Os pontos positivos ficam por conta da boa leitura do conhecido painel digital (que possui computador de bordo mais simples) e o volante com base chata, que oferece melhor pegada. Quem senta no banco do motorista nota a posição de dirigir bem alta, mesmo que o ajuste do banco esteja no nível mais baixo (aliás, é o ajuste que move apenas a base do assento). Esta característica pode ser apreciada pelo público feminino, mas talvez não por quem curte carros mais esportivos, notadamente o público masculino.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Em movimento, o Onix explica um pouco porque é atualmente o carro mais vendido do país (lembre-se que o Palio soma o antigo Fire). Rodar firme e controlado sem prejudicar o conforto, embreagem com comando bem leve, câmbio de engates precisos e fáceis, direção bem ajustada e direta (embora não tenha assistência elétrica) e o elogiável isolamento acústico - praticamente não se nota o ruído motor, mesmo a 120 km/h. O desempenho do motor 1.4 de até 106 cv e 13,9 kgfm é honesto, bem mais esperto que no Uno - isso vale para as acelerações e também retomadas. Uma característica interessante é o funcionamento suave e com poucas vibrações em altas rotações, algo raro num oito válvulas. Com gasolina no tanque, fez médias de 10,5 km/l na cidade e 14,8 km/l na estrada.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"

Roupa cara

O Onix Effect custa R$ 50.190, mesmo preço da versão de topo LTZ. Traz de série ar-condicionado, direção hidráulica, banco do motorista e volante multifuncional com regulagem de altura, faróis de neblina, MyLink, alerta para esquecimento do cinto de segurança, travas e vidros elétricos dianteiros com comando na chave, além dos obrigatórios freios ABS/EBD e airbag duplo.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Como itens de série, o Uno Sporting 2015 possui direção hidráulica, computador de bordo, vidros elétricos dianteiros, travas elétricas, iluminação no porta-luvas, cinto de três pontos para todos os ocupantes, rodas de liga leve aro 15", para-choques específicos desta versão e tem preço sugerido de R$ 37.190. Todavia, a versão que testamos é a mais completa e traz todos os opcionais:  câmbio Dualogic Plus e volante com alavancas de seleção das marchas tipo borboleta (R$ 3.025); ar condicionado (R$ 3.045); kit comfort (R$ 700); kit evolution 3 (R$ 1.441); kit black & white de personalização interna (R$ 497); kit dark & gray (R$ 233); sensor de estacionamento (R$ 533) e kit control (R$ 1.066). Recheado com todos os opcionais disponíveis, o Sporting vai a R$ 47.730. Na prática, R$ 2.460 a menos que o Onix. Apesar do preço elevado para um Uno, o modelo leva vantagem pela lista mais generosa de equipamentos e comodidade do câmbio automatizado. Todavia, como produto, o Onix está um degrau acima e tem uma dirigibilidade mais refinada, bem como um ótimo câmbio manual, melhor desempenho e mais espaço na cabine.
Garagem CARPLACE #6: Uno Sporting encara Onix Effect entre os "esportivos de fachada"
Mas como aqui o foco principal é o visual esportivo, o Uno investe mais que o Onix, se diferenciando de forma mais contundente das versões "normais". O que gostaríamos de ver, no entanto, era uma oferta de motores mais potentes nesta dupla: o 1.6 E-Torq no Fiat (usado no Palio) e o 1.6 Ecotec que servia ao Sonic no caso do Chevrolet. Ficha técnica: Chevrolet Onix Effect Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 8 válvulas, 1.389 cm3, flex; Potência: 106/98 cv a 6.000; Torque: 13,9/13 kgfm a 4.800 rpm; Transmissão: câmbio manual de cinco marchas, tração dianteira; Direção: hidráulica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS; Peso: 1.067 kg; Capacidades: porta-malas 280 litros, tanque 54 litros; Dimensões: comprimento 3.930 mm, largura 1.705 mm, altura 1.484 mm, entreeixos 2.528 mm. Ficha técnica: Fiat Uno Sporting Motor: dianteiro, transversal, quatro cilindros, 8 válvulas, 1.368 cm3, flex; Potência: 88/85 cv a 5.750 rpm; Torque: 12,5/12,4 kgfm a 3.500 rpm; Transmissão: câmbio manual de cinco marchas, tração dianteira; Direção: hidráulica; Suspensão: independente McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira; Freios: discos sólidos na dianteira e traseira, com ABS; Peso: 1.023 kg; Capacidades: porta-malas 290 litros, tanque 48 litros; Dimensões: comprimento 3.811 mm, largura 1.673 mm, altura 1.487 mm, entreeixos 2.373 mm.

Galeria: Chevrolet Onix Effect e Fiat Uno Sporting Dualogic

Seja parte de algo grande