IPI: ano novo começa com fim da redução da alíquota para automóveis

O ano de 2015 está apenas começando mas desde a última quinta-feira (1), quem compra carro zero quilômetro já começa a perceber a diferença no preço com o fim da redução da alíquota do IPI, Imposto sobre Produtos Industrializados. Para os carros populares, a alíquota sobe dos atuais 3% para 7%. No caso dos carros com motor flex (gasolina e etanol), que hoje recolhem 9% de IPI, a alíquota sobe para 11%, e os carros movidos só a gasolina, que pagam 10%, terão a alíquota aumentada para 13%.
IPI: ano novo começa com fim da redução da alíquota para automóveis
A estratégia de reduzir o IPI para veículos começou em 2012 no governo Dilma Rousseff para manter a economia aquecida. Mas tal artifício já havia sido usado também por no governo Lula em 2009, no auge dos efeitos da crise financeira deflagrada em setembro de 2008. Ao renovar sucessivas vezes a permanência do IPI reduzido dos automóveis, o governo vinculou a medida a um compromisso da indústria automotiva de não cortar empregos. Recentemente, Luiz Moan, presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), avaliou que a elevação do imposto não acarretará demissões no setor, até porque esta decisão já era esperada pelas montadoras.
IPI: ano novo começa com fim da redução da alíquota para automóveis
Parte de um pacote amplo de medidas de contenção de gastos, o aumento do IPI reflete a necessidade do governo federal de reequilibrar as contas públicas, que registram déficit primário (receitas abaixo das despesas, sem contar os juros da dívida) de R$ 19,64 bilhões de janeiro a novembro de 2014, de acordo com números do Banco Central.

Seja parte de algo grande