Pé no chão: Volkswagen pode reduzir previsão de vendas para os EUA

CEO da Volkswagen para a América do Norte, Michael Horn confirmou nesta semana que a empresa pode reduzir a previsão de vendas traçada anos atrás para os Estados Unidos. Em entrevista concedida ao TheDetroitBureau, o executivo admitiu que a queda nos números do primeiro quadrimestre deste ano devem barrar o otimismo alcançado com os resultados positivos de 2011 e 2012. A meta até então era comercializar 800.000 carros por ano no mercado norte-americano a partir de 2018.
Pé no chão: Volkswagen pode reduzir previsão de vendas para os EUA
"A previsão é certa, mas a longo prazo. O tempo é um grande desafio", disse Horn. Depois de um bem-vindo crescimento registrado em 2011 e 2012, as vendas da marca nos EUA caíram 7% em 2013 e no primeiro quadrimestre de 2014 já recuaram 6,9%. Especialistas de mercado apontam que o grande erro da Volks é se concentrar em outros mercados, como a China, em detrimento do americano. Falta competitividade também em diversos segmentos, como o de SUVs (a oferta da marca se resume ao Tiguan e ao Touareg) e o de picapes (onde a marca está ausente).
Pé no chão: Volkswagen pode reduzir previsão de vendas para os EUA
"Para alcançarmos sucesso temos que apostar no gosto do cliente daqui e produzir carros que as pessoas daqui gostem", completou o executivo. Analistas reclamam ainda que o SUV CrossBlue, principal investida da marca na preferência do consumidor americano, foi apresentado há quase dois anos e sequer chegou ao mercado - a previsão é para apenas 2016.

Seja parte de algo grande

Pé no chão: Volkswagen pode reduzir previsão de vendas para os EUA

Foto de: Dyogo Fagundes