Garagem CARPLACE #6: Focus deixa impressão positiva após 30 dias

Foi bom enquanto durou... Assim, o Focus SE 2.0 Powershift se despediu da redação do CARPLACE após sua estadia no Garagem. Além do 2.0, nossa avaliação de 30 dias também contou com a versão SE 1.6 do hatch médio da Ford. No total rodamos praticamente 2 mil km com os dois modelos, alternando entre gasolina e etanol.
Garagem CARPLACE #6: Focus deixa impressão positiva após 30 dias
Além dos tradicionais testes de desempenho, frenagem e consumo (com os dois combustíveis), o Focus 1.6 passou pelo pelo crivo de um proprietário da geração anterior. Já o 2.0 Powershift foi medir forças com o arquirrival Golf 1.4 TSI DSG, numa briga que deu muito o que falar. Para mim, o Garagem com o Focus também serviu para balizar minha próxima compra. Explico: eu tive as duas gerações anteriores do modelo, e passar um mês com a nova só aumentou minha vontade de voltar a ter o carro - o único problema é que minha mulher achou ele "grande" para o dia-a-dia. Em relação ao antigo, notei melhora considerável nas respostas em baixa rotação (mesmo no 1.6), gostei bem mais da nova direção elétrica e da forma como a suspensão está ainda mais bem calibrada para conforto e estabilidade. Por fim, o painel é muito mais arrojado e bonito que o da geração anterior, além de a posição de dirigir tem ficado mais esportiva.
Garagem CARPLACE #6: Focus deixa impressão positiva após 30 dias
Nós gostamos também do desempenho do Focus. Mesmo pesado, o modelo 1.6 (135 cv) apresentou boas respostas no trânsito, com retomadas melhores até que o irmão menor Fiesta 1.5. No geral, deixa a impressão de um carro justinho, que nem falta nem sobra. Já com o 2.0 de injeção direta (178 cv) passa a sobrar motor para a maioria das situações do dia-a-dia. Para quem quiser aproveitar todo o potencial dinâmico do Focus, o 2.0 é "o" carro. Sobre as transmissões, a manual apresentou engates curtos e suaves, enquanto a automatizada de dupla embreagem e seis marchas é rápida e com trocas quase imperceptíveis. Mas lamentavelmente não traz borboletas na direção para mudanças manuais - apenas dois botõezinhos na alavanca, que todos da equipe reclamaram. O que também não agradou muito foi o refinamento do Focus. A montagem da carroceria, principalmente no segundo modelo avaliado (o 2.0), ainda deixava a desejar pelos gaps entre as peças metálicas. Por dentro, o painel é emborrachado, mas o revestimento do teto e alguns plásticos poderiam ser melhores. Por fim, a central My Ford travou algumas vezes na conexão com os celulares. Na SE 2.0 a nova central multimídia com GPS e tela sensível ao toque, oferecida com acessório, deveria ser item de série. Comparado ao Golf, fica mais claro que o Focus poderia melhorar em termos de acabamento. Entre prós e contras, no entanto, a impressão deixada na redação foi positiva. E o Focus vai embora do Garagem aprovado. Agora é a vez do próximo avaliado: um sedã médio que ganhou nova geração há pouco tempo. A estreia dele aqui acontece ainda nesta semana! Relembre a seguir a trajetória do Focus no Garagem CARPLACE: 1. A estreia pela versão SE 1.6 manual 2. Boa relação desempenho x consumo
Garagem CARPLACE #6: Focus deixa impressão positiva após 30 dias
3. Encontro de gerações 4. A troca do 1.6 manual pelo 2.0 Powershift
Garagem CARPLACE #6: Focus deixa impressão positiva após 30 dias
5. Comparativo contra o Golf TSI DSG Em resumo Km inicial: 3.370 km (SE 1.6) e 11.342 km (SE 2.0) Km final: 4.308 km (SE 1.6) e 12.341 km (SE 2.0) Consumo médio SE 1.6 Cidade: 7,7 km/l (etanol) – 10,1 km/l (gasolina) Estrada: 11,3 km/l (etanol) – 14,2 km/l (gasolina) SE 2.0 Cidade: 7,5 km/l (etanol) – 9,2 km/l (gasolina) Estrada: 10,8 km/l (etanol) – 13,2 km/l (gasolina) Problemas apresentados: nenhum Gostamos: dirigibilidade, desempenho, conforto, estabilidade Não gostamos: espaço interno e porta-malas poderiam ser maiores, montagem e refinamento, botões de troca manual da versão Powershift Fotos: Ford Focus 2.0 SE Powershift

Seja parte de algo grande