Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha

Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
Foi nas fabulosas estradas da Ilha de Lanzarote, na Espanha, que tive oportunidade de avaliar a novíssima Yamaha MT-07. Trata-se da aposta da marca dos diapasões entre as nakeds de média cilindrada, que chega para enfrentar rivais como Honda CB 500F e Kawasaki ER-6n. Quais serão as armas dela para se dar bem diante da concorrência? Para saber, rodei 200 km por todo tipo de condição: longas retas, curvas abertas e apertadas, na cidade, em vias rápidas e até em caminhos de piso esburacado. Esta nova MT que a Yamaha acaba de lançar na Europa tem motor de dois cilindros em linha com 689 cm3, que gera 75 cv atingidos a 9.000 rpm e torque de 6,9 kgfm a 6.500 rpm. E é justamente o motor que mais brilha na MT-07, como eu descobriria no decorrer do dia de testes. Mas antes vamos dar uma volta em torno da novidade da Yamaha.
Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
Apresentando linhas modernas, a moto lembra a irmã maior MT-09 tricilíndrica (veja avaliação clicando aqui). Com pormenores esportivos que saltam à vista logo nos primeiros olhares, a MT-07 é claramente uma "anti-linha 500" da Honda, e argumentos para a bater a rival não lhe faltam: peso inferior, mais de 20 cv extras e preço mais baixo aqui na Europa. A ideia da Yamaha foi fazer uma moto "low-cost", como mostra o preço de 5.595 euros (cerca de R$ 18 mil) na versão básica e de 6.095 euros (cerca de R$ 19.600) com ABS. Apesar disso, não houve economia nos materiais utilizados, como podemos perceber em componentes como duplo disco de freio na dianteira, vistosas rodas de 10 raios, painel totalmente digital (com bastante informação), pneu traseiro na medida 180 e amortecedor traseiro com nove ajustes possíveis.
Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
Assim que montamos na MT, logo temos consciência de que o conjunto é bastante leve e compacto. São apenas 179 kg para a versão normal e 182 kg no modelo equipado com ABS (pesos com os reservatórios de óleo e gasolina cheios). O guidão e o banco estreitos permitem adequar a posição de condução que mais convém, nos deixando ter total controle sobre a moto. Assim, a MT-07 se revela ideal para condutores vindos de modelos menores ou com pouca experiência. Mas também, porque não, para quem deseja uma moto divertida sem gastar muito, para passeios de fim-de-semana ou dia-a-dia na cidade. O motor bicilíndrico foi uma agradável surpresa, com potência sempre disponível e uma resposta alegre do acelerador quando giramos o punho direito. Talvez até ele se apresente demasiado brusco na passagem da primeira para a segunda e da segunda para a terceira marcha, podendo provocar alguns sustos em condutores menos experientes ou mais desatentos. Depois disso, porém, tudo se passa normalmente e com suavidade.
Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
Já imaginaram rodar a 40 km/h em quinta marcha, acelerar e ter uma resposta direta do motor sem que ele se queixe? Pois nesta moto isso é possível. Provocar a mesma situação em sexta marcha, no entanto, faz bater o bicilíndrico. A caixa de câmbio é bastante fácil de acionar, ainda mais com uma embreagem suave para ajudar. O escape curto, bem desenhado e construído, inicialmente parece não se ouvir. Mas quando o giro supera as 5.000 rpm, acreditem, vem música da boa para os ouvidos. O conforto é aceitável para este tipo de moto. O banco oferece boa acomodação para viagens curtas, de 120/130 km, mas depois disso começa a ficar um pouco duro e torna-se necessário procurar uma melhor posição. A suspensão traseira ajusta em nove posições, enquanto a dianteira (sem regulagem) nos pareceu um tanto macia, principalmente nas frenagens - comportamento já observado na avaliação da MT-09. Falando nisso, as frenagens se mostraram eficazes mesmo na versão sem ABS. A roda traseira bloqueia quando se exige demais, mas isso só aumenta a diversão para quem se sentir mais à vontade. Em termos de vibrações, elas praticamente não existem no guidão nem no banco, embora sejam sentidas nas pedaleiras quando aceleramos mais forte, sem chegar a incomodar. Outro ponto positivo fica para a escolha dos pneus Michelin Pilot Road 3.
Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
A facilidade de condução da MT-07 é impressionante. Nas curvas ela deixa claro suas dimensões compactas e o peso leve que apresenta o conjunto. É uma delícia de tocar, seja qual for a rotação em que se rode. Chegar aos 160 km/h é coisa de um instante, se a estrada permitir, mas a diversão não para por aí. O tanque de 14 litros de gasolina, segundo a marca, permite autonomias próximas dos 400 km - o que significa uma média consumo ao redor dos 28,6 km/l. O painel totalmente digital, bem posicionado e de boa visibilidade, apresenta toda a informação necessária, incluindo até um indicador de marcha engatada.
Avaliação: já aceleramos a MT-07, nova naked bicilíndrica da Yamaha
Em resumo, a nova bicilíndrica da Yamaha é uma moto super divertida, de fácil adaptação e capaz de proporcionar excelentes momentos de emoção para todo o tipo de piloto. Se juntarmos a isso um preço acessível (abaixo dos 6.000 euros aqui na Europa) e um baixo custo de manutenção, temos a fórmula certa para o sucesso! Nota da redação: Embora a Yamaha não confirme a chegada da MT-07 ao Brasil, fontes ligadas à marca indicam que há estudos para sua venda no país em 2015. Em conversa com a reportagem do CARPLACE MOTO, o presidente da Yamaha do Brasil, Shigeo Hayakawa, disse que a ideia é ter uma novidade a cada seis meses. Agora no primeiro semestre de 2014, o lançamento ficou por conta da XTZ 150 Crosser, e a próxima esperada da lista é a tricilíndrica MT-09. Ou seja, a MT-07 vai demorar pelo menos mais um ano para chegar por aqui. Mas estamos na torcida desde já: com preço na faixa dos R$ 25 mil, seria uma bela opção para embolar a briga de Honda CB500F e Kawasaki ER-6n. Por Carlos Tavares*, de Lanzarote (Espanha) Fotos: Blog Moto-Teste e Divulgação *Carlos Tavares é motociclista parceiro do blog Moto-Teste (www.moto-teste.blogspot.com), de Portugal, que realiza testes e experiências com diversos tipos e modelos de motos na perspectiva do utilizador comum e apaixonado Ficha técnica - Yamaha MT-07 Motor: dois cilindros em linha, 8 válvulas, 689 cm3, injeção eletrônica, gasolina, refrigeração líquida; Potência: 75 cv a 9.000 rpm; Torque: 6,9 kgfm a 6.500 rpm; Transmissão: câmbio de seis marchas, transmissão por corrente; Quadro: tipo Diamante; Suspensão: garfos telescópicos na dianteira (130 mm de curso) e braço oscilante tipo Link na traseira (130 mm de curso); Freios: disco duplo na dianteira (282 mm) e disco simples na traseira (245 mm); Pneus: 120/70 R17 na dianteira e 180/55 R17 na traseira; Peso: 179 kg/182 kg (ABS); Capacidades: tanque 14 litros; Dimensões: comprimento 2.085 mm, largura 745 mm, altura 1.090 mm, altura do assento 805 mm, entreeixos 1.400 mm Galeria: Yamaha MT-07

Seja parte de algo grande